O arqueólogo e teólogo Rodrigo Silva (Foto: Reprodução/YouTube/Rede Super de Televisão)
O arqueólogo e teólogo Rodrigo Silva (Foto: Reprodução/YouTube/Rede Super de Televisão)

O pastor e arqueólogo Rodrigo Silva se manifestou em suas redes sociais, neste sábado (31), sobre a intimação recebida pelo pastor Jorge Linhares, líder da Igreja Batista Getsêmani, que foi convocado pelo Ministério Público Federal (MPF) a prestar depoimento por conta de declarações dele contra a ideologia de gênero.

No Instagram, Silva disse que se solidarizou em orações por Linhares por, entre outras coisas, entender que não pode “abraçar causas de pessoas que querem ter o direito legal de considerar certo o que a Bíblia diz ser errado e ainda entrar com ação judicial contra quem discorda delas”.

– Quero lembrar que o melhor protesto do crente é a prática do bem, não o enfrentamento anárquico do sistema. Dias piores virão em que o mundo estará cada vez mais dividido e politizado – afirmou.

Rodrigo ainda elencou outras duas razões para apoiar o pastor Linhares. A primeira delas foi, segundo ele, por “limitação de espaço”. Para Silva, “há tantas injustiças no mundo que quem abraça todas as causas acaba não apoiando nenhuma”. A outra motivação, de acordo com ele, foi por ter o “direito de eleger” suas “batalhas”.

Após ter se posicionado contra a ideologia de gênero, o pastor Jorge Linhares foi intimado pelo Ministério Público de Minas Gerais. A intimação foi assinada pelo promotor Mário Konichi Higuchi Junior, segundo informações divulgadas por Linhares, nas redes sociais.

– Aí está, o Ministério Público do estado de Minas Gerais, mandando para mim a intimação para eu estar lá no dia 02 de agosto de 2021, às 15h00, na condição de investigado por ter declarado claramente que, não somente eu, mas o Colégio Batista Getsêmani, a igreja, todos nós, a Bíblia Sagrada, a Palavra de Deus declara que homem é homem, mulher é mulher, menino é menino, menina é menina – declarou o pastor.

Fonte: Pleno News