Presidente da Rússia, Vladimir Putin
Presidente da Rússia, Vladimir Putin

Pelo menos 15 cristãos evangélicos foram punidos na Rússia entre janeiro e julho de 2020 por compartilhar sua fé de maneiras não autorizadas.

Todos eles foram processados ​​por violação do Artigo 5.26 , Partes 4 e 5 do Código Administrativo, aprovado em julho de 2016, que pune “atividade missionária ilegal”.

A organização de liberdade religiosa Forum 18 analisou os autos disponíveis e chegou à conclusão de que “houve pelo menos 42 processos” deste tipo na Rússia durante o primeiro semestre do ano, envolvendo principalmente cristãos e muçulmanos.

A maioria dos cristãos processados ​​são membros de igrejas batistas e pentecostais.

A maioria dos processos terminou com multas entre 6.000 rublos (115 euros) e 50.000 rublos (575 euros) e apenas três casos terminaram em absolvição.

Muitos dos casos tinham a ver com pessoas compartilhando literatura religiosa na rua ou falando sobre sua fé aos transeuntes. Outros foram processados ​​por realizar outras atividades não autorizadas, incluindo aulas de línguas com algum tipo de abordagem religiosa.

“Dos quatro estrangeiros acusados ​​de acordo com o Artigo 5.26, Parte 5 (” Estrangeiros em atividade missionária “), dois foram condenados à deportação por meio de expulsão forçada (o que significa que foram enviados para centros de detenção do Ministério do Interior para estrangeiros antes da partida)”, disse o Fórum 18.

As autoridades também estão aplicando as leis conhecidas como “Yarovaya” na Crimeia, um território ucraniano anexado pela Rússia em 2014.

Folha Gospel com informações de Evangelical Focus