Ciro Gomes segura a Constituição e a Bíblia em vídeo divulgado em suas redes sociais. (Foto: Reprodução/Twitter)
Ciro Gomes segura a Constituição e a Bíblia em vídeo divulgado em suas redes sociais. (Foto: Reprodução/Twitter)

Nesta segunda-feira (21), o presidenciável Ciro Gomes usou as redes sociais para divulgar um vídeo, no qual faz declarações sobre o cristianismo.

Num cenário à meia-luz, que lembra uma igreja ou templo, Ciro aparece em frente a uma mesa, como se fosse um padre ou pastor. O pré-candidato a Presidência da República em 2022, diz que “a Bíblia e a Constituição não são livros conflitantes”.

Na mensagem de pouco mais de dois minutos, Ciro afirma que o Brasil “se formou no berço do cristianismo” e que dois aspectos da mensagem cristã “devem falar fundo no coração de qualquer brasileiro”: o da “superação” e o da “solidariedade”.

“Cada um de nós, criado à imagem e semelhança de Deus, carrega dentro de si a centelha de uma vida maior”, diz o presidenciável, acompanhado de uma trilha sonora que remete à música sacra, com sons de sino, coral e órgão. “Estamos todos profundamente ligados por vínculos invisíveis. Portanto, só conseguiremos ficar maiores se ficarmos maiores juntos. O Brasil é vitalidade, é pujança. O que o coração brasileiro quer é ver essa pujança, essa força, esse vigor, casados com amor, ternura e outros valores espirituais”, acrescenta.

Veja o vídeo:

Ataque petista

Em matéria publicada no site Revista Fórum, o jornalista Marcelo Hailer diz que “Ciro Gomes esquece que é justamente este discurso, de que o ‘Brasil é um país cristão’, utilizado pela extrema direita fundamentalista para justificar a perseguição às religiões de matriz africana, não permitir que o discurso do aborto avance e também promover o discurso de ódio às LGBT”.

O jornalista diz ainda que Ciro Gomes ao afirmar no vídeo que “cada um de nós, criado à imagem e semelhança de Deus, carrega dentro de si a centelha de uma vida maior”, ele estaria colocando “todo mundo no mesmo balaio moral e religioso e se esquece da diversidade religiosa e espiritual presente no Brasil”.

O colunista Samuel Novais, do site Guia Ponto Novo, criticou a matéria da Revista Fórum dizendo que ela “coloca os cristãos no ‘mesmo balaio’ dos extremistas ao insinuar que, ao falar aos cristãos, Ciro fala aos que perseguem religiões de matriz africana e a comunidade LGBT”.

Novais diz ainda que o texto da Revista Fórum é “carregado de ódio e generalizações absurdas, mostra que parte da esquerda (leia-se PT e seus blogs financiados) despreza a fé da maior parcela da população brasileira e pretende anular qualquer aproximação da democracia com os cristãos”.

“É importante entender que há uma diferença enorme entre se aproximar dos bons valores do cristianismo e se render à fundamentalistas religiosos contra outras religiões, como fazem Bolsonaro e seus seguidores mais fanáticos”, dispara Novais.

“Ao usar seus blogs satélites para atacar os cristãos e Ciro Gomes por buscarem aproximação, a cúpula do PT dá mais um sinal que, por trás do discurso em favor dos pobres, há um ódio profundo e sentimento de vingança contra tudo o que compõe o dia-a-dia do povo brasileiro, incluindo a sua religiosidade”, finaliza Novais.

Silas Malafaia

O vídeo de Ciro Gomes, além de incomodar os petistas, também mexeu com a extrema direita. O conselheiro de Jair Bolsonaro, pastor Silas Malafaia, foi ao Twitter atacar Ciro Gomes e disse que começou uma suposta “temporada da enganação e da mentira política”.

“Povo abençoado do Brasil, começou a temporada da mentira, do cinismo e da safadeza política”, disse no vídeo. “Pensa que pode enganar os evangélicos”, escreveu no Twitter.

“Ciro Gomes grava um vídeo que é pra a gente rir. Uma mão está a Bíblia, na outra mão, a Constituição. Uma palavra linda pra tentar enganar o povo cristão do Brasil”, ataca Malafaia.

O líder da Assembleia de Deus Vitória em Cristo ainda atacou o PDT acusando o partido de ser marxista e abortista. O pastor e escrito Claudio Moreira gravou o vídeo abaixo respondendo as acusações de Silas Malafaia.

Folha Gospel com informações de Revista Fórum e Guia Ponto Novo