Cristãos durante culto na Índia (Foto: Reprodução / Christian Aid Mission)
Cristãos durante culto na Índia (Foto: Reprodução / Christian Aid Mission)

A violência contra os cristãos na Índia aumentou, garante dados coletados pelos parceiros locais da Portas Abertas. A pandemia de COVID-19 provocou as restrições de locomoção no país e a queda de relatos de agressões. Porém, o número de incidentes contra os seguidores de Jesus chegou a 6.981 em 2020, oito vezes mais do que em 2019.

O número de assassinatos foi 18 na Lista Mundial da Perseguição 2021, 125% maior do que no ano anterior. Já os abusos físicos aumentaram em 217 casos, em comparação a 1.676 em 2019. Os dados sobre ataques a casas ou propriedades de cristãos cresceu de 51 relatos para 201. Veja abaixo um vídeo onde as casas dos cristãos são destruídas por extremistas hindus.

Segundo relatório “Mentiras Destrutivas: Desinformação”, um dos principais fatores do crescimento da violência é o discurso de ódio contra minorias religiosas. As mentiras espalhadas sobre os cristãos favorecem a discriminação e incitam a fúria, principalmente dos radicais hindus. Por isso a Portas Abertas decidiu criar uma campanha nas redes sociais com a #StandforTruthIndia. Outro ponto é que a maioria dos ataques aos seguidores de Jesus são ignorados e até tolerados pelas autoridades indianas e veículos de comunicação baseados na ideologia Hindutva.

Para o porta-voz da Portas Abertas, os números relatados são apenas a ponta do iceberg. Muitos incidentes não são relatados e uma das principais causas para isso é que, infelizmente, muitos cristãos que vivem em áreas rurais pensam que a perseguição é normal e não podem fazer nada a respeito. “Eles não conhecem os direitos deles. E a pandemia é outro fator. Nossos parceiros são menos capazes de investigar incidentes devido a todas as restrições”, explica.

Apesar da pandemia de COVID-19, os parceiros da Portas Abertas socorreram os cristãos em diversas necessidades. “Por meio de nossos parceiros, fomos capazes de dar ajuda alimentar a aproximadamente 126.000 cristãos na Índia em 2020. Cerca de 80% deles relataram que enfrentariam algum tipo de discriminação ao tentar obter ajuda de autoridades locais por causa da fé. No entanto, decidimos não incluir esses atos de discriminação nos dados sobre incidentes de perseguição, porque eles tornariam muito difícil a comparação com os anos anteriores e futuros.”

Fonte: Portas Abertas