Um gnomo de jardim exposto em uma galeria de arte de Nuremberg está provocando discussão na cidade no sul da Alemanha. A estátua dourada de plástico faz a saudação nazista, gesto proibido no país. A promotoria iniciou inquérito para apurar se a obra fere as leis alemãs.

O incidente, chamado de um “escândalo artístico” pela imprensa alemã, foi iniciado pela divulgação de uma carta anônima enviada a um jornal local.

O autor da peça, o alemão Ottmar Hörl, de 59 anos, afirma que ela tem um caráter de crítica ao autoritarismo e se mostrou surpreso com as acusações.

“Estou bastante espantado que um único gnomo exposto em uma galeria em Nuremberg totalmente desconhecida provoque tamanha discussão pública, por causa da reclamação anônima de um denunciante”, afirmou o artista, conhecido por suas gigantescas instalações com centenas de figuras plásticas, e, desde 2005, diretor da Academia de Belas Artes de Nuremberg.

O gnomo dourado está à venda na galeria por 50 euros. Trazendo a inscrição “poisoned” (“envenenado”, em tradução livre do inglês) sob o pé, ele era parte de “Dance Of the Devil” (“Dança do Demônio”), instalação criada no ano passado e exposta em outros países, como Bélgica e Áustria.

Ela mostra um grupo contendo originalmente 700 anões de jardim com o braço direito levantado em saudação nazista. Peças da instalação já foram vendidas em outras oportunidades. Na Alemanha, a obra foi exposta anteriormente em Aschaffenburg, tendo sido recusada para uma mostra em uma outra cidade.

“Estamos investigando com atenção se esse caso do anão de jardim é tão claro quanto os casos de placares com a suástica cortada por um traço”, afirmou o porta-voz da Justiça local, Wolfgang Träg, se referindo a peças de propaganda de caráter antinazista, que por um tempo chegaram a ser interpretadas como passíveis de punição.

O autor da estátua será convocado para depor, e o dono da galeria também poderá ser chamado a dar esclarecimentos. A legislação alemã prevê que a saudação nazista “não pode ser divulgada nem utilizada publicamente”.

Fonte: BBC Brasil