Os Estados Unidos retiraram neste sábado a Coréia do Norte de sua lista negra de países que apóiam o terrorismo, após alcançar um acordo sobre a verificação das atividades nucleares do regime de Pyongyang, informou o Departamento de Estado.

“A secretária de Estado retirou a designação da Coréia do Norte como Estado defensor do terrorismo”, anunciou o porta-voz Sean McCormack, destacando que a decisão foi tomada após a Coréia do Norte ter concordado com uma série de medidas de inspeção de suas instalações nucleares.

“Todos os elementos de verificação que buscávamos estão incluídos nesta medida. É um ponto importante”, afirmou McCormack.

A Coréia do Norte figurava nessa lista negra devido ao seu presumível envolvimento na destruição de um avião comercial sul-coreano em 1987, que deixou 115 mortos.

As sanções por fazer parte da lista impediam o governo de Pyongyang de obter empréstimos a taxas razoáveis em instituições financeieras, como o Banco Mundial ou o Fundo Monetário Internacional.

George W. Bush falou neste sábado por telefone com o primeiro-ministro japonês, Taro Aso, que se opunha à decisão de hoje enquanto não se esclarecesse a sorte dos japoneses seqüestrados nos anos 70 e 80 pelo regime de Pyongyang. Bush prometeu que o assunto não seria esquecido nas conversações com a Coréia do Norte.

O porta-voz do Departamento de Estado explicou, também, que Pyongyang vai retomar o desmantelamento de suas instalações nucleares.

A decisão acontece após dias de reuniões do governo Bush que se seguiram a uma visita do enviado americano a Pyongyang, Christopher Hill, na semana passada.

A Coréia do Norte começou a desativar seu reator nuclear em Yongbyon em agosto, adotando recentemente medidas no sentido contrário, após Washington ter-se recusado a retirar o país da lista de patrocinadores de terrorismo.

Fonte: AFP