O jornal vaticano L’Osservatore Romano afirmou nesta sexta-feira, em um artigo assinado por seu diretor, José Maria Vian, que existe uma “evidente sintonia” entre o presidente da Itália, Giorgio Napolitano, e o papa Bento XVI.

Segundo a publicação, trata-se de uma sintonia que “coroa um ano em que os encontros entre o Papa e o chefe de Estado têm sido repetidos e muito cordiais”.

Ontem, durante a celebração da primeira missa do ano, Bento XVI e Napolitano trocaram elogios mútuos, ressaltando pontos de vista comuns sobre assuntos como a crise econômica internacional.

Hoje, o próprio presidente italiano ressaltou, durante uma visita à Nápoles, que as “linguagens” usadas por ele e pelo Papa para abordar a crise são “necessariamente próximas”.

Para José Maria Vian, “a singular consonância” entre o que foi dito por Bento e as declarações de Napolitano é o que demonstra a “sintonia” entre o governo italiano e a Igreja.
No texto, o diretor do jornal também se refere à crise, qualificando-a como uma “ocasião preciosa para uma mudança que pode atingir estilos de vida, economias, relações entre as pessoas e as nações”.

Fonte: JB online