O Desafio Jovem do Ceará (DJC), casa de recuperação de dependentes químicos, está de luto. O motivo foi o falecimento do seu fundador, dr. Silas Munguba, vítima de falência múltipla dos órgãos motivada por uma insuficiência renal. O óbito ocorreu no início da tarde de ontem no hospital São Carlos.

O neto do médico, Daniel Munguba, informou que a família estava muito abalada com o acontecido, fato que impossibilitava o fornecimento de qualquer declaração. Entretanto, destacou a saudade e que ele foi um homem íntegro, temente a Deus e sempre procurou ensinar os valores biblícos como o amor ao próximo. Ele esclareceu que o “culto de graças” será realizado hoje, a partir das 14h, na Igreja Batista Alvorada, e o sepultamento ocorrerá às 16h no Cemitério Parque da Paz.

Em nota, o governador Cid Gomes enalteceu a carreira de Silas Munguba, dizendo que ela foi pautada pela solidariedade voltada aos problemas sociais dos jovens cearenses. “Ele dedicou sua vida a ajudar a juventude. Como médico e ser humano, contribuiu para que famílias superassem os problemas relacionados à dependência de drogas. É uma grande perda, mas seu trabalho serve de exemplo para todos”, lamentou.

A prefeita de Fortaleza, Luizianne Lins, lembrou do esforço e do trabalho que o médico empreendeu para combater a dependência química entre os jovens. “Homem de fé e de atitude, Silas Munguba não se contentou com a teoria, arregaçou as mangas e partiu para uma ação direta em prol dos jovens dependentes químicos, desenvolvendo o Desafio Jovem no Ceará. Deixa saudades e um legado de grande importância, que deve ser preservado e multiplicado”, relatou.

O presidente da Assembleia Legislativa do Ceará, Domingos Filho, ressaltou a grande perda da sociedade cearense e disse que a lacuna deixada por Silas Munguba acarreta uma mistura de sentimentos. “Lembrar de Silas é um misto de alegria e tristeza. Alegria por sua trajetória missionária e por ter dedicado sua vida inteira pelo bem do próximo. No caso, dos jovens sem perspectivas que se entregaram às drogas. E tristeza por não contarmos hoje com sua presença física. Silas Munguba é um exemplo a ser seguido. Um batalhador do bem e das causas públicas. Um homem que confiou na reabilitação das pessoas e fez dessa crença uma realidade”, desabafou.

Aristóbulo Munguba, disse que seu irmão influenciou as pessoas na busca do melhor para ajudar o próximo. Foi um lutador, herói de guerra pelas causas dos dependents químicos no Ceará. O coordenador de internos do Desafio Jovem, Gilberto Rebouças, declarou que o serviço social prestado pela Instituição não vai ser abalada com o falecimento do Dr. Silas.

Segundo ele, a equipe formada e treinada pelo fundador vai dar prosseguimento ao sonho deixado por ele, porém, desta vez, com muito mais força. “Agora vamos trabalhar por nós e por ele. Sua morte nos abalou muito, mas não vamos abaixar a cabeça. Ele foi um exemplo de amor e de solidariedade. Com certeza continuaremos a abraçar a sua causa. A sua falta será sentida para sempre, mas continuaremos seguindo o caminho ensinado por ele”, destacou o coordenador, lembrando que os internos lamentaram profundamente o acontecido.

O pastor da Igreja Batista Comunidade do Amor e irmão de Silas Munguba desabafa em tom de saudade “uma vida que valeu. Depois de meu pai ele foi o maior exemplo de vida para mim”.

Câmara adia solenidade

A sessão solene em homenagem aos 34 anos do Desafio Jovem do Ceará, que seria realizada hoje, foi adiada em virtude do falecimento de Silas Munguba, idealizador e fundador da instituição. Uma nova data será marcada, e a homenagem, proposta pelo vereador Antônio Henrique (PTN), será estendida à memória do médico. O vereador disse estar chocado com a notícia. “Sabíamos que o estado de saúde dele era grave, mas não esperávamos essa partida repentina. Vamos marcar outra data e estender a homenagem à memória do dr. Silas”, afirmou.

Um homem, uma marca!

Nascido em Manaus (AM), o dr. Silas Munguba era casado e pai de quatro filhos. Ex-combatente da Segunda Guerra Mundial, o médico obstetra adotou Fortaleza como sua residência, onde fundou o DJC no dia 16 de junho de 1975. A criação da instituição foi motivada por uma reportagem de jornal publicada em 1971, a qual afirmava que cerca de um bilhão de jovens no mundo eram usuários de drogas. Na época, a proporção de dependentes químicos chegava a um para cada quatro jovens.

Apesar de nunca ter trabalhado com drogados, Munguba sentiu-se sensibilizado com o problema e decidiu investir na empreitada de cuidar dos jovens dependentes cearenses. Juntamente com o empresário João Furtado, que havia participado da fundação do Desafio Jovem de Brasília (iniciativa do Pastor David Wilkerson), o médico criou o DJC que tem sua sede localizada em uma chácara no bairro da Parangaba.

Através de seu trabalho árduo, cuidando dos dependentes químicos, Silas Munguba tornou-se conhecido na sociedade cearense como “o médico que falava sobre as drogas”. Evangélico, o fundador ficou à frente da Instituição até o seu falecimento.

O Desafio Jovem trabalha em favor dos jovens em busca de libertação das drogas. Para tanto, conta com uma equipe formada por dezenas de profissionais que se revezam 24 horas por dia, prestando auxílio aos pacientes e às suas famílias.

Fonte: AVOL