Andressa Urach
Andressa Urach

A modelo Andressa Urach tentou obter parte do faturamento da Igreja Universal do Reino de Deus após apresentar um pedido liminar em um processo que move contra a igreja por doações feitas.

Urach pedia cerca de 15% do faturamento mensal da igreja do bispo Edir Macedo, com,o limite de R$ 12 mil mensais, até que o julgamento da ação principal fosse concluído. A juíza Fernanda Carravetta Villande, da 13ª Vara Cível de Porto Alegre, negou o pedido.

Na decisão da medida, a juíza lembra que, para aceitar o pedido, era preciso ter claro a probabilidade de que o que se pede é certo ou tem fortes indícios

“Dessa forma, descabe a medida cautelar pretendida pela parte-autora, que consiste em espécie de “pensão” em valor equivalente aos seus rendimentos mensais postulada em face da parte-ré. Isso porque a discussão acerca da validade dos negócios jurídicos celebrados com a parte-ré demanda a regular dilação probatória e o exercício do contraditóriom mormente em face da ausência, inclusive, de indicação e impugnação específica de cada doação reputada nula pela parte-autora”, decidiu a juíza.

A modelo e sócia do Miss Bumbum alegou ter feito doações estimadas em mais de um milhão de reais e até em forma de automóveis para a Universal, segundo o processo distribuído em novembro do ano passado.

As motivações seriam “de ordem religiosa, acreditando que tais atos de disposição poderiam gerar inúmeros benefícios à sua vida”. Urach diz se sentir extorquida pela igreja.

Em fevereiro deste ano, Andressa Urach entrou com um pedido na Justiça para recuperar os mais de R$ 2 milhões que diz ter doado à Igreja Universal do Reino de Deus com base no Código Civil, que diz: “Nula é também a doação quanto à parte que exceder à de que o doador, no momento da liberalidade, poderia dispor em testamento”.

Em abril, ela pediu gratuidade de sua defesa negado pela Justiça, o que foi negado uma vez que possui patrimônio superior a R$ 900 mil, declarado na Receita Federal. A modelo argumentava que todo o dinheiro que teve nos últimos seis anos, incluindo carro e joias, foi doado à Universal e que ficou somente com a sua residência, onde reside com familiares.

Contudo, a decisão do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul — feita em dezembro do ano passado e que Urach recorreu este ano —considerou que Andressa ser escritora e modelo e ter canal no YouTube e perfil no Instagram com muitos inscritos. Além disso, a decisão citava o fato de a modelo ter realizado “diversos procedimentos estéticos” nos últimos meses. Ela teria, portanto, dinheiro o suficiente para arcar com a defesa.

Urach saiu da RecordTV em novembro do ano passado e também desligou-se da Universal. Ela afirma que a instituição gerou diversos danos a ela nos últimos anos.

“Depois de 6 anos de lavagem cerebral onde me fizeram acreditar que eu tinha que dar meu tudo para Deus. Levaram praticamente tudo que eu tinha. Foi mais de um milhão e meio de reais que doei nesses últimos anos para a instituição, fora o meu amor e tempo que dediquei como todos sabem. Agora que não tenho mais dinheiro para dar, ainda fui demitida da Record. Parabéns Igreja Universal por levar minha alma ao inferno”, disse Andressa Urach.

Fonte: UOL