"Super Drags", série da Neflix que mostra drag queens como super-heroínas”

O serviço de streaming Netflix publicou um vídeo sobre o desenho Super Drags, para mostrar que a produção é voltada ao público adulto.

Em um teaser divulgado nesta quarta-feira (29), a plataforma deixa claro que a novidade é para maiores de 16 anos, rebatendo críticas que recebeu de órgãos como a Sociedade Brasileira de Pediatria — que classificou a série como “imprópria para menores”.

O vídeo da Netflix mostra uma personagem chamada Vedete Champanhe (dublada por Silvetty Montilla), que nega que a série sobre drag queens super-heroínas seja infantil. “Cês tão achando que eu tô com cara de Galinha Pintadinha?”, pergunta ela. “Vai ter desenho de viado na Netflix sim, mas para maiores de 16 anos”.

Em seguida, a personagem diz que a série não estará disponível no perfil infantil, o que já havia sido confirmado pela empresa. “Eu lá vou querer entrar na área kids?”, questiona. “Não quer que os outros vejam? Bloqueia, coloca senha. Não sabe como faz? Coloca no Google”.


Críticas

Em julho, a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) lançou uma nota pedindo pelo cancelamento da série e atacando o que chama de “linguagem infantil” usada por ela: “A SBP respeita a diversidade e defende a liberdade de expressão e artística no País, no entanto, alerta para os riscos de se utilizar uma linguagem iminentemente infantil para discutir tópicos próprios do mundo adulto, o que exige maior capacidade cognitiva e de elaboração por parte dos espectadores”, em nota.

Procurada pelo UOL, a Netflix enviou uma declaração oficial em que reforça que “Super Drags” é uma animação voltada ao público adulto e não estará disponível nos perfis infantis do serviço. A empresa ainda notou que disponibiliza o controle parental para os pais que desejam controlar a quais títulos os filhos têm acesso.

“A Netflix oferece uma grande variedade de conteúdos para todos os gostos e preferências. ‘Super Drags’ é uma série de animação para uma audiência adulta e não estará disponível na plataforma infantil [Netflix Kids]. A seção dedicada às crianças combinada com o recurso de controlar o acesso aos nossos títulos faz com que pais confiem em nosso serviço como um espaço seguro e apropriado para os seus filhos. As crianças podem acessar apenas o nosso catálogo infantil e colocamos o controle nas mãos dos pais sobre quando e a que tipo de conteúdo seus filhos podem assistir”.

Após a repercussão do caso, o Ministério Público Federal de Minas Gerais pediu à Netflix que disponibilize a animação exclusivamente no catálogo geral da plataforma, e não no menu destinado ao público infantil. O MPF deu prazo de 30 dias para a Netflix cumprir a recomendação.

Fonte: UOL