As ossadas de seis bispos enterrados há mais de 600 anos foram identificadas por arqueólogos escoceses utilizando tecnologia de alta precisão.

Os restos mortais dos bispos medievais, que morreram entre os anos 1200 e 1360 haviam sido descobertos durante uma escavação realizada em Galloway, no sudoeste da Escócia, entre 1957 e 1967.

Os especialistas da fundação Escócia Histórica já sabiam que os esqueletos pertenciam a altos escalões da igreja medieval, mas suas identidades permaneciam um grande mistério.

Aplicando um método conhecido como datação por radiocarbono, os arqueólogos conseguiram não só descobrir os nomes dos bispos, mas como também sua dieta alimentar.

Bacalhau

De acordo com eles, os bispos se chamavam Walter, Henry, Michael, Thomas e Gilbert, falecidos em 1235, 1293, 1359, 1362 e 1253, respectivamente.

As análises sugerem que eles eram todos oriundos do sul da Escócia e gostavam de comer carnes e peixes de boa qualidade, como bacalhau.

Junto com as ossadas, foram encontrados também um bastão episcopal dourado de 1175, além de cordas usadas como cintos feitos com fios de ouro, restos de mitras (usadas por altos escalões da igreja para cobrir a cabeça) bordadas com lantejoulas douradas, além de cálices de altar em prata.

O líder da equipe de arqueologistas, Peter Yeoman, disse que a experiência foi “uma rara oportunidade para construir uma idéia do que foi a vida e a morte dos homens ricos da igreja escocesa durante a Idade Média”.

Os esqueletos fazem parte da coleção do Museu Nacional da Escócia.

Fonte: BBC Brasil