Bandeiras de Israel e do Brasil (Foto: Jack Guez-28.out.2018/AFP)
Bandeiras de Israel e do Brasil (Foto: Jack Guez-28.out.2018/AFP)

O presidente Jair Bolsonaro disse na quinta-feira, 28 de fevereiro, que a transferência da embaixada brasileira em Israel de Tel Aviv para Jerusalém está “em banho maria”, de acordo com o jornal Valor Econômico.

Diante de um grupo de jornalistas e comentaristas de diferentes veículos no Palácio do Planalto, em Brasília, Bolsonaro afirmou que a transferência “não é uma questão tão fundamental” na relação entre Brasil e Israel.

A mudança da embaixada para Jerusalém foi uma proposta feita durante a campanha eleitoral de Bolsonaro e anunciada nos primeiros dias de mandato. Enquanto esteve no Brasil, o ministro israelense, Benjamin Netanyahu, afirmou que Bolsonaro havia assegurado a transferência.

O presidente disse que ouviu apelo da ministra da Agricultura, Tereza Cristina, para “pensar direito” sobre o tema.

A ideia desagrada países árabes, que alertaram um possível esfriamento de relações comerciais com o Brasil, caso a mudança seja levada adiante. Juntos, os países árabes são o segundo maior comprador de proteína animal brasileira. Em 2017, as exportações somaram US$13,5 bilhões e o superávit para o Brasil foi de US$ 7,17 bilhões.

Bolsonaro também afirmou que o Brasil é diferente dos Estados Unidos — uma das poucas nações que mantém embaixada em Jerusalém — e que, portanto, uma mudança por iniciativa de seu governo teria menor repercussão.  

O presidente confirmou que visitará Israel em 31 de março e disse também que pretende se reunir com representantes da comunidade árabe no Brasil.

Fonte: Guia-me com informações de Valor Econômico