Denilson Alves (PDT), 42 anos, militar da reserva que concorre pela primeira vez a uma vaga na Câmara Municipal se diz a reencarnação do ex-presidente Getúlio Vargas. “É preciso muita coragem para me expor à sociedade brasileira”, diz o candidato.

Denilson acredita que vai mobilizar multidões a ponto de obter uma votação histórica como os feitos de Vargas, criador do salário mínimo, que se suicidou com um tiro no coração em 1954.

“Preciso apenas de espaço na mídia para conquistar o reconhecimento do povo. Com a minha força de vontade e poder espiritual vou conseguir puxar votos suficientes para tornar Paulo Ramos o próximo prefeito do Rio.”

No horário gratuito da TV, porém, Denilson optou por não fazer referência à ligação espiritual que diz ter com o ex-presidente, que ficou conhecido como o “Pai dos Pobres”. Sua aposta é na chamada teoria do reconhecimento.

“Se eu fiz o bem a você no passado, tenho certeza que você terá uma boa impressão de mim no presente”, explica o também estudante de serviço social e adepto ao racionalismo cristão, doutrina filosófica espiritualista na qual as pessoas são consideradas partículas que serão desenvolvidas e aperfeiçoadas durante as encarnações.

O candidato explica que o espírito que reencarna é aquele que não cumpriu toda a sua missão em vidas anteriores – caso dos suicidas, segundo sua doutrina:

“Vou dar continuidade à revolução de Getúlio com investimento na educação.

A revelação da ligação cármica, em 2005, é um capítulo à parte. De repente, teve visões de que caminhava por uma rua de terra batida quando viu um corpo fardado no chão com um tiro no peito.

“Quando olhei o rosto, era Getúlio Vargas, na lembrança da fatídica manhã de 24 de agosto de 1954. Aí, me vi dentro do Palácio do Catete, meu coração disparou, senti tanta dor no peito, não suportei e acordei”, conta. “Fui a São Borja (cidade natal de Vargas) e reconheci a rua do sonho.”

Fonte: Terra