A CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) informou que a reunião entre representantes da entidade e o chefe-de-gabinete da Presidência da República, Gilberto Carvalho, foi adiada. O encontro, previsto inicialmente para o começo desta tarde, deve ocorrer somente à noite.

De acordo com a CNBB, o adiamento foi motivado pela dificuldade de alguns integrantes da entidade para chegar a Brasília por conta de atrasos nos vôos.

No encontro, informa a CNBB, serão discutidas propostas de solução para as reivindicações de d. Luiz Flávio Cappio, 61, bispo de Barra (BA), que está em greve de fome há 21 dias. O seu jejum é um protesto contra a transposição do rio São Francisco.

Reportagem de hoje da Folha informa que o Palácio do Planalto iniciou, no fim de semana, um intenso diálogo com d. Cappio na expectativa de uma possível interrupção da greve de fome do religioso. O governo, porém, diz continuar firme em sua posição de não interromper as obras de transposição do rio São Francisco.

Para a Agência Folha, o bispo negou ontem que esteja negociando com o governo. Mas confirmou ter recebido propostas de Gilberto Carvalho, que chamou de “indecorosas”.

Na semana passada, Lula recebeu o comando da CNBB. Disse aos bispos que não interromperá as obras e que a greve de fome de d. Luiz é um problema exclusivo da igreja.

Em entrevista à Folha, publicada ontem, o ministro Patrus Ananias (Desenvolvimento Social) afirmou que o bispo tem sido “intransigente” e que a linha de sua greve de fome é um extremo ‘inaceitável’.

As obras estão embargadas pela Justiça Federal desde 11 de dezembro. O governo recorreu ao STF, que deve analisar o pedido amanhã. Mesmo se a liminar for derrubada, as obras só devem ser retomadas após 7 de janeiro, quando os militares do Exército voltam do recesso.

Em apoio a d. Luiz, pouco mais de dez representantes de movimentos sociais começaram ontem um protesto silencioso em frente ao Planalto.

Fonte: Folha Online