Os líderes da Coreia do Norte e Coreia do Sul, Kim Jong-un e Moon Jae-in
Os líderes da Coreia do Norte e Coreia do Sul, Kim Jong-un e Moon Jae-in

Uma delegação internacional de líderes religiosos saudou uma “nova primavera quase milagrosa” para a Coreia do Norte depois de uma visita a Pyongyang após a histórica reunião de cúpula entre os presidentes do Norte e do Sul.

A delegação de seis pessoas do Conselho Mundial de Igrejas e da Comunhão Mundial das Igrejas Reformadas retornou depois de uma viagem à capital Pyongyang de 3 a 7 de maio a convite da Federação Cristã Coreana da Coreia do Norte.

Embora a Coreia do Norte seja considerada um país fechado com poucos elos internacionais, as relações com os organismos eclesiais mundiais perduraram por mais de 30 anos e o movimento ecumênico mundial continuou a promover a causa da reunificação.

A declaração, publicada após a visita da delegação, elogia as medidas para aliviar as tensões militares e conseguir um tratado de paz para acabar com o estado formal de guerra na península.

“Nós celebramos e afirmamos a declaração conjunta do compromisso de realizar, através de completa desnuclearização, uma Península Coreana livre de armas nucleares – no contexto de nossos esforços por um mundo livre de armas nucleares através da defesa da ratificação universal e implementação do Tratado a Proibição de Armas Nucleares.”, diz a declaração.

A delegação se reuniu com Kim Yong Nam, presidente da Assembleia Suprema dos Povos da Coreia do Norte que afirmou e enfatizou “a importância do papel dos líderes da igreja e das comunidades religiosas nos esforços passados ​​e futuros para a paz e reunificação do povo coreano”.

“A delegação viu a Cúpula Inter-Coreana e seus resultados como uma nova primavera quase milagrosa para a paz na região, depois de meses e anos de crescentes tensões”, diz o comunicado.

“Visitamos Pyongyang em uma bela e nova primavera, não apenas no mundo natural, mas também nas relações entre o povo e os governos da península coreana”, disse o secretário geral do Conselho Mundial de Igrejas, Rev. Dr. Olav Fykse Tveit.

“Sabemos que a primavera também é uma época para se trabalhar, para garantir que colhemos uma boa colheita do que foi semeado.”

A delegação insta “todas as igrejas, todos os cristãos chamados por nosso Senhor Jesus Cristo a serem pacificadores, e todas as pessoas de boa vontade em todo o mundo a apoiar as iniciativas lideradas pela Coreia expressas na Declaração Panmunjom [assinada pelos líderes da o Norte e o Sul], como base e enquadramento para alcançar uma paz sustentável para o povo coreano, para a região e para o mundo”.

Fonte: The Christian Times