Cristãos sofrem pressão da família e da sociedade em Bangladesh
Cristãos sofrem pressão da família e da sociedade em Bangladesh

Dois ex-muçulmanos, Aminul e Ebrahim, foram espancados e expulsos da vila de Gochidanga, no norte de Bangladesh, no dia 22 de novembro.

Os líderes religiosos tomaram conhecimento da fé deles e exigiram que negassem a fé em Jesus. Quando recusaram, os aldeões baterem e os baniram do vilarejo. Além dos vizinhos, os familiares deles também os rejeitaram.  

Duas semanas antes, os dois homens participaram de um encontro entre cristãos ex-muçulmanos. Tanto a liderança islâmica quanto alguns fiéis ficaram espionando o evento, já que perceberam que eles não estavam mais frequentando a mesquita para as orações diárias.

Aminul e Ebrahim tentaram explicar porque estavam participando da atividade cristã. Mas as justificativas não foram aceitas e ambos foram avisados das consequências que teriam se não retornassem ao islã. Então tiveram até o dia 22 para mudarem as decisões.

Na data marcada, eles foram levados à mesquita, onde exigiram que renunciassem a Cristo, publicamente. Mas ao invés de negarem a Jesus, confessaram a fé nele diante de todos os aldeões. A multidão reagiu protestando, espancando e expulsando os novos cristãos da vila.

Hoje, os cristãos ex-muçulmanos moram em outro lugar e têm participado de treinamentos e seminários organizados pela Portas Abertas. Eles estão aprendendo sobre a Bíblia com um pastor local, e frequentam aulas de alfabetização.

Fonte: Portas Abertas