Um deputado estadual de Rondônia, casado, com filhos e membro de uma igreja evangélica conservadora, estaria sofrendo pressão de uma ex-assessora que gravou o suposto assédio sexual.

O aparente clima de calmaria esconde mais um escândalo envolvendo um deputado estadual. Desta vez, não se trata de um envolvimento em negociatas ou outra operação para desnudar casos de corrupção. Trata-se de um crime comum, mas abominável pela sociedade: o assédio sexual.

Segundo fontes do Rondonoticias, um deputado estadual, casado, com filhos e membro de uma igreja evangélica conservadora, estaria vivendo momentos de terror com uma suposta pressão por parte de uma mulher, que foi assessora em seu gabinete, que gravou as conversas desinibidas do parlamentar, que a teria assediado sexualmente de forma descarada.

Com uma caneta que permitiu gravar áudio e vídeo, a mulher agora estaria cobrando uma boa quantia para não divulgar as imagens do “homem de Deus” a assediando. Ela já teria feito dezenas de cópias em DVD’s e ameaça distribuir o material comprometedor, que pode arruinar a carreira política do assanhado parlamentar.

Em ano de eleição, um estrago desse tamanho pode acabar com o sonho de reeleição de qualquer um. O deputado não sabe o que faz: se paga o que lhe cobram ou se denuncia à polícia o caso, passando de réu à vítima.

Segundo informações, o deputado evangélico, como era de esperar, seria um fervoroso defensor do casamento.

[b]Fonte: Rondonoticias[/b]