A Indonésia, país muçulmano mais populoso do mundo, pediu a suspensão de emojis e pictogramas gays de aplicativos de mensagens instantâneas, em mais uma ação contra a minoria LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transexuais) no país.

[img align=left width=300]http://24horaspb.com/Portal/cache/mod_news_show_sp2/nssp2_thumbs/176/3ca4b45dbbb413fa37768cc4ab783f6f_XL.jpg[/img]De acordo com um porta-voz do ministério da Comunicação e Informação, Ismail Cawidu, nesta sexta-feira (12/2), as figuras “podem atrair crianças”.

Os tais emojis, que representam pessoas do mesmo sexo de mãos dadas e a bandeira domovimento LGBT, podem ser usados em apps como WhatsApp e em redes sociais, como Twitter e Facebook.

“Conteúdos como esses não estão autorizados na Indonésia em virtude de nossos princípios culturais e normas religiosas, e os operadores devem respeitá-los”, declarou Cawidu.

Tecnicamente, a homossexualidade não é crime na Indonésia, mas por causa da religião é um assunto polêmico. Caso as empresas rejeitem o pedido do governo, podem ser banidas do funcionamento no país.

[b]Fonte: Tribuna da Bahia[/b]