O Vaticano anunciou neste sábado (2) a entrada em vigor do acordo com os palestinos que inclui, entre outros aspectos, uma “solução negociada e pacífica para o conflito na região”.

O acordo reúne 32 artigos que abordam aspectos essenciais da vida e da atividade da igreja na Palestina —como o regime fiscal de suas propriedades e a isenção de serviços pessoais, como o militar, para seu pessoal.

Ele foi assinado em 26 de junho e se apoia na solução de “dois Estados” para o conflito com Israel.

A sede da Igreja Católica disse esperar que o acordo ajude na campanha de reconhecimento de um Estado Palestino.

O texto é a continuidade do Acordo de Base assinado entre a Santa Sé e a Organização para a Libertação da Palestina (OLP) em 15 de fevereiro de 2000 e resultado das negociações desenvolvidas pela comissão de trabalho bilateral nos últimos anos.

O arcebispo Paul Gallagher, secretário de Relações com os Estados, destacou que “em contraste com o acordo anterior, este se firma entre a Santa Sé e o Estado da Palestina”.

[b]Fonte: Folha de São Paulo via Bem Paraná[/b]