Seleção da Inglaterra na Eurocopa 2020, realizada entre junho e julho de 2021, por causa da pandemia da Covid-19
Seleção da Inglaterra na Eurocopa 2020, realizada entre junho e julho de 2021, por causa da pandemia da Covid-19

Enquanto milhões de pessoas em toda a Europa e no mundo acompanham as competições europeias de futebol , algumas histórias interessantes têm ligações com a fé cristã.

Exemplos disso estão nas seleções da Inglaterra e da Suíça, que participam do Campeonato Europeu de Futebol, conhecido como Euro ou Eurocopa. O evento só perde para a Copa do Mundo.

O futebol moderno foi inventado na Inglaterra, e o país está presente na Euro 2020 ao lado de País de Gales e Escócia, integrantes do Reino Unido.

No caso inglês, o cristianismo tem raiz em alguns dos principais times. Um terço de todas as equipes que já estiveram na Premier League (a maior competição da Inglaterra) foram formadas por igrejas. Isso inclui grandes clubes como Manchester City, Liverpool e Tottenham.

Isso é o que Gavin Calver, da Evangelical Alliance United Kingdom, compartilha em um artigo no qual ele também destaca o lado feio do futebol de elite, que inclui um comportamento que vem sendo corretamente combatido: o racismo

“Espero e oro para que esses problemas não apareçam neste verão e que as pessoas possam desfrutar deste belo jogo sem sofrer alguns dos aspectos mais feios da indústria”, concluiu Calver.

Hino da Suíça exalta Deus

O futebol suíço também tem relações com o cristianismo, que aparece na letra do hino do país.

No jogo final do Grupo A desta edição, a Suíça venceu a Turquia (3-1) e sonha com as oitavas de final. O país tem provavelmente o hino nacional mais cristão da Euro 2020.

Antes de cada jogo, os jogadores cantam (ou pelo menos ouvem com respeito) o “Salmo Suíço”. O hino foi composto em 1841 por Alberich Zwyssig e inclui frases como:

“Em nossa direção na tempestade violenta que se aproxima,
Você [Senhor] mesmo nos dá resistência e fortaleza,
Você, governante todo poderoso, resgatando!
Durante o horror e as noites de tempestades,
vamos confiar nele como uma criança !
Sim, sentimos e entendemos;
Sim, sentimos e entendemos;
Que Deus habita nesta terra.
Que Deus habita nesta terra ”.

Durante anos, na Suíça cada vez mais secularizada, muitos pediram para “atualizar” o hino e remover as referências a Deus (algo que alguns também estão perguntando sobre a constituição).

Através de um concurso oficial, foram propostas letras alternativas com omissão da palavra “Deus” em 2015, mas o parlamento nacional não parece ter pressa em abrir o polêmico debate sobre a mudança deste elemento central da identidade.

Folha Gospel com informações de Evangelical Focus