Fachada da Igreja Batista Getsemani
Fachada da Igreja Batista Getsemani

Um pastor da Igreja Batista Getsêmani, de Belo Horizonte, é suspeito de abusar de adolescentes da congregação.

Os supostos abusos sexuais foram denunciados à Polícia Civil na manhã desta segunda-feira pela própria direção da igreja. Conforme a denúncia, o pastor cuida de quatro templos na região de Venda Nova.

Uma adolescente de 14 anos, que teria sido assediada quando tinha 13, presta depoimento na Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca), no bairro Carlos Prates, região Noroeste de BH. Outras duas supostas vítimas prestaram depoimento na semana passada.

A adolescente é acompanhada nesta segunda-feira por Daniela Linhares, filha do pastor e líder da Getsêman desde 1981, Jorge Linhares. Daniela diz que o acusado pode ter feito 30 vítimas nos últimos cinco anos.

“Duas meninas, uma de 17 e uma 18 anos, foram até à Igreja Batista Getsêmani denunciar o pastor. É o pastor Jerusan Batista Queiroz. Ele é da Getsêmani Venda Nova, Nações Unidas. É uma pessoa que conheço há muitos anos e tenho propriedade para poder falar isso tudo com vocês”, disse Daniela.

Daniela diz que já desconfiava do comportamento do pastor, mas não imaginava ‘que era uma coisa tão pesada’. “Até então, a gente sabia que ele cantava mulheres, que ele se insinuava. Mas eram mulheres já, a maioria maior de idade. Então, não quis me envolver. Quando apareceu menor de 18 (anos) vi que a coisa realmente ficou muito séria e que tinham mais meninas para serem ouvidas”, ressaltou:

“Quero deixar bem claro que tem meninas aqui que foram impedidas de contar o que aconteceu para o meu pai (Jorge Linhares). As vítimas relatam que o pastor ameaçava. Falava que elas não tinham dinheiro para processar, que depois ele entraria com o processo contra elas de calúnia e difamação e que elas não teriam dinheiro para pagar advogado. Não só com as meninas, mas também familiares, o que é uma coisa muito séria. E, sim, tiveram pastores que não deixaram o meu pai (Jorge Linhares) saber do caso”.

Procurado pela reportagem da Itatiaia, o pastor denunciado negou as acusações.

Segundo o site da Getsêmani, são mais de 50 templos somente em Minas Gerais, a maioria na capital e na Grande BH. A igreja está presente também em outros estados, na Europa e na África.

Nota de esclarecimento

Por meio da assessora de imprensa, os advogados do pastor Jerusan enviaram nota de esclarecimento no dia 30 de dezembro de 2019 para a redação do FolhaGospel. Leia abaixo.

Os advogados Hudson Cambraia e Raphael Maia, representantes judiciais do Pastor Jerusan Batista Queiroz, informam, por meio desta nota, que todas as informações divulgadas sobre as acusações são falsas.

O Pr. Jerusan é detentor de uma história de retidão e dedicação à Igreja e à sua família e, exatamente por sua trajetória, é vítima de ataques infundados, com o objetivo de manchar a sua imagem e impedi-lo de prosseguir o seu trabalho junto à Igreja Batista Getsêmani.

Os fatos narrados não são verdadeiros e a defesa já possui todos os elementos para demonstrar a sua inocência. Infelizmente, o tempo do processo não costuma ser tão célere quanto o de pessoas mal-intencionadas, que utilizam a velocidade das redes sociais para propagar falsas informações. Mais triste é perceber que jovens estão sendo utilizados como ferramenta em um jogo de interesses pessoais que têm por objetivo manchar a reputação de um homem que passou a vida a serviço da comunidade.

A defesa acredita firmemente no trabalho da Polícia e da Justiça e está cuidando para que tudo seja devidamente esclarecido e para que se comprove a inocência do Pr. Jerusan. É de suma importância que se tenha responsabilidade ao tratar com a imagem e a reputação de pessoas públicas e que são referência nas comunidades em que atuam, pois, não se pode desconstruir, de forma precipitada, uma reputação cunhada com árduo trabalho durante anos.

Priscila Emery
Assessora de Imprensa

Fonte: Itatiaia e Assessora de Imprensa Priscila Emery