“Ao chegar à casa do pastor Seguele, meu coração se compadeceu junto aos de tantas pessoas que lotavam o lugar. Sua esposa estava com os olhos inchados e vermelhos de tanto chorar”

Um colaborador da Portas Abertas relatou: “Uma semana antes de nosso encontro, o casal se tornou mais uma família cristã vitimada por rebeldes que ainda aterrorizam Bangui [capital da República Centro-Africana]”.

O pastor Seguele e sua esposa estavam na igreja quando a invasão aconteceu. O casal entrou na casa da família, onde os seus três filhos, uma adolescente de 16 anos e dois meninos de 9 e 7 anos, estavam, sob os cuidados de uma empregada.

“Eles bateram na minha filha, além de intimidarem indecente e humilhantemente para que ela os levasse onde era guardado o nosso dinheiro. Ela não sabia nem se tínhamos dinheiro. O seu queixo ainda está inchado da surra.”

Os rebeldes são conhecidos por sua brutalidade contra civis, e o casal é grato pela situação não ter acabado de maneira bem pior. Porém o medo que eles têm vivido é ainda muito forte e permanecerá por algum tempo.

A família precisará de tempo para se recuperar da perda de material que eles sofreram. “Nossa casa ficou de cabeça para baixo, por conta da busca pelo dinheiro. Nossos pertences – a TV, utensílios de cozinha, freezer, tapetes, gás, fogão e muitos outros aparelhos foram levados. Eles foram de cômodo em cômodo levando roupas pessoais e roupas de cama.”

No complexo que é todo cercado, onde a casa está situada, estava o carro do pastor Seguele. Lá, alguns de seus amigos também estacionaram seus carros na tentativa de escondê-los dos rebeldes. A tentativa de roubar o veículo foi sem sucesso, mas com grandes prejuízos.

Conforme narrou ao colaborador da Portas Abertas, o pastor Seguele acredita que o ataque foi direcionado: “Alguém mandou que viessem até nós, principalmente porque ninguém mais foi saqueado.”

Embora a população em geral sofra com a ilegalidade dos rebeldes, as instituições governamentais e os cristãos têm suportado o peso disso. Antes da crise, os cristãos na República Central da África gozavam de relativa liberdade. No entanto, desde o início da marcha dos rebeldes em Bangui, no início do ano, os cristãos têm enfrentado grande incerteza. A Portas Abertas informou sobre uma carta em que a Igreja Católica pediu ao presidente Djotodia, um ex-líder rebelde, para que ele se declarasse contra estupros, saques, extorsão e roubo, e para que explicasse a existência de uma carta onde ele mostra o desejo de transformar a República Central Africana numa república islâmica.

Pedidos de oração

Ore pela recuperação completa dos traumas dos filhos do pastor Seguele.

Interceda pela esposa do pastor Seguele que está fortemente abalada por tudo o que aconteceu. Peça para que Deus supra as necessidades por causa da enorme perda material que sofreram

Apresente ao Senhor o pastor Seguele e a igreja local, para que eles permaneçam firmes e fortes em sua fé em Cristo.

[b]Fonte: Portas Abertas Internacional[/b]