Cena de Andi Mack na qual o personagem Cyrus Goodman se declara para o colega TJ Kippen. (Imagem: YouTube / Disney Channel US / Reprodução)
Cena de Andi Mack na qual o personagem Cyrus Goodman se declara para o colega TJ Kippen. (Imagem: YouTube / Disney Channel US / Reprodução)

Nos Estados Unidos, grupos conservadores, como a associação American Family, têm emitido alertas contra o apoio da Disney ao ativismo LGBT.

Eles defendem que os conteúdos apresentados são imorais e promovem comportamento pecaminoso.

Recentemente, a série do Disney Channel, Andi Mack, foi apontada como um exemplo negativo por causa da presença de um personagem central gay. A produção foi feita para o público adolescente.

A série foi lançada em 2017 e acabou cancelada em abril de 2019. Porém, os episódios restantes da terceira temporada foram exibidos.

O site The Christian Post chamou a atenção, na quinta-feira (1º), para o final de Andi Mack que, nos EUA, foi transmitido no último dia 26 de julho. A programação terminou com uma cena que mostrou o personagem Cyrus Goodman, interpretado pelo ator Joshua Rush, confessando sua atração pelo colega de classe TJ Kippen, representado por Luke Mullen.

Em seu Twitter, Joshua disse estar honrado de ter feito parte da série. Ele falou ainda que espera que seu personagem inspire outras pessoas a terem orgulho de quem são e de quem amam.

A influência desse tipo de conteúdo na geração atual de crianças e adolescentes é justamente o que preocupa os cristãos americanos, que criticaram não apenas Andi Mack como outros trabalhos da Disney.

Na série Boa Sorte Charlie, de 2014, o canal já tinha exibido um casal gay, porém formado por adultos.

Contexto

A Disney vem adotando e promovendo vagarosamente as visões LGBT, como visto em seus programas de televisão e filmes como “A Bela e a Fera” e “Doutora Brinquedos” em 2018. Em 2017, o desenho “Star vs. the Forces” of Evil apresentou a primeira ‘princesa masculina’ no mesmo programa que anteriormente causou polêmica por apresentar os primeiros beijos entre pessoas do mesmo sexo.

A gigante do entretenimento infantil também terá um papel abertamente gay em seu próximo filme de ação ao vivo, “Jungle Cruise”.

A Disney está seguindo os passos de muitas outras empresas familiares. Em maio, o desenho animado “Arthur” na PBS – emissora que recebe financiamento do governo – mostrou um casamento entre dois personagens do mesmo sexo.

No ano passado, o popular desfile de ação de graças da Macy’s, que também é conhecido por suas ‘celebrações saudáveis’, ganhou as manchetes por sua primeira exibição pública controversa de relações entre pessoas do mesmo sexo.

Fonte: Pleno News e Guia-me