Jair Bolsonaro informa que testou positivo para coronavírus Imagem: Reprodução/TV Brasil

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) testou positivo para covid-19. A revelação foi feita hoje pelo próprio chefe do Executivo, em entrevista à TV Brasil. Ontem, ele sentiu alguns sintomas da doença e fez o exame em Brasília. O resultado foi divulgado no fim desta manhã.

“Começou domingo, com uma certa indisposição, se agravou na segunda-feira, com cansaço, indisposição e febre de 38 graus. O médico da presidência, apontando a contaminação por covid-19, fui fazer uma tomografia no hospital. Equipe médica decidiu dar hidroxicloroquina e aztromicina. Como acordo muito durante a noite, depois da meia-noite senti uma melhora, às 5 da manhã tomei a segunda dose e estou me sentindo bem”, disse Bolsonaro.

Em nota oficial, a Secretaria Especial de Comunicação Social disse que o estado de saúde do presidente é “bom”.

“O resultado do teste de covid-19 feito pelo presidente Jair Bolsonaro na noite dessa segunda-feira, 6, e disponibilizado na manhã de hoje, 7, apresentou diagnóstico positivo. O presidente mantém bom estado de saúde e está, nesse momento, no Palácio da Alvorada”, disse o comunicado.

Nomes do governo que tiveram contato com o presidente nos últimos dias também fizeram exames para detectar a doença. O ministro da defesa, general Fernando Azevedo e Silva, e o ministro da Secretaria de Governo, general Luiz Eduardo Ramos, estão entre os que realizaram os testes.

Na sexta-feira, Bolsonaro sancionou a Lei nº 14.019/2020  que obriga o uso de máscaras em espaços públicos. No entanto, ele vetou alguns locais, como templos religiosos, da obrigatoriedade da proteção durante a pandemia do novo coronavírus.

No último sábado, Bolsonaro participou de um almoço ao lado do embaixador americano no Brasil, Todd Chapman, em Brasília. Ele foi acompanhado por ministros e posaram para fotos sem máscara. O governo dos EUA confirmou que Chapman passará por teste para verificar se está com covid-19.

Desde que retornou dos Estados Unidos, em março, o presidente e sua comitiva fizeram exames para covid-19. O grupo que acompanhou o presidente aos EUA teve mais de 20 pessoas infectadas.

A covid-19 atacou até mesmo o principal conselheiro político do presidente brasileiro, o ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno. O primeiro a ser detectado com a doença foi o secretário de Comunicação do Planalto, Fábio Wajngarten.

Bolsonaro chegou a fazer três exames para a doença na ocasião e, durante meses, resistiu a divulgar os resultados. Somente em maio, após uma ação movida pelo jornal O Estado de S.Paulo, Bolsonaro revelou que usou pseudônimos para realizar os exames, que teriam atestado negativo.

Fonte: UOL