Aquecimento global e as mudanças climáticas (Foto: Unsplash / Maxim Tolchinskiy)
Aquecimento global e as mudanças climáticas (Foto: Unsplash / Maxim Tolchinskiy)

Nas vésperas da Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP-26), líderes cristãos pediram uma ação urgente, por parte dos governantes mundiais, para frear os efeitos da mudança climática na Terra. A Cúpula do Clima da ONU acontecerá no final de outubro e novembro deste ano, em Glasgow, na Escócia.

Em carta conjunta, divulgada nesta segunda-feira (20), os líderes atribuem a culpa pelas alterações climáticas às pessoas que “exploraram o planeta” e alertam que os danos serão vividos “com maior gravidade” por aqueles que vivem na pobreza, “sobretudo por mulheres e crianças”.

O documento lembra os líderes mundiais a cumprirem o Acordo de Paris, em que se comprometeram a limitar o aquecimento global a 1,5ºC.

“Reconhecemos as oportunidades que a COP-26 traz ao abordar a necessidade urgente de ação para limitar os efeitos das mudanças climáticas e a importância crítica das decisões tomadas nesta conferência para levar adiante o acordo feito em Paris em 2015”, afirmam.

Os líderes cristãos que assinaram a carta incluem o arcebispo copta de Londres, Angaelos, o secretário geral da União Batista da Grã-Bretanha, reverendo Lynn Green e o líder ambiental da Igreja da Inglaterra, o bispo John Arnold.

“Nossas comunidades de fé estão unidas para cuidar da vida humana e do mundo natural. Compartilhamos a crença em um futuro promissor, bem como a obrigação de sermos responsáveis ​​por cuidar de nossa casa comum, a Terra”, diz o documento.

Prometendo cuidar da terra e trabalhar por “um futuro saudável, resiliente e com zero emissões”, os líderes ainda afirmam que a transição para uma “economia justa e verde” deve ser uma “prioridade”.

“Apesar de nossas diferenças doutrinárias e políticas, sabemos que devemos mudar nossos caminhos para garantir uma qualidade de vida que todos possam compartilhar, e precisamos dar esperança para pessoas de todas as idades, em todos os lugares, incluindo as gerações futuras”, diz a carta.

E conclui: “Para oferecer esperança ao mundo, precisamos ter confiança de que aqueles que estão no poder entendem o papel vital que devem desempenhar na COP-26 de Glasgow. Nossa energia coletiva e orações estarão com aqueles que trabalham para um resultado bem-sucedido”.

O documento a favor do combate às mudanças climáticas e o cuidado ao meio ambiente, é baseado na Declaração de Lambeth de 2015, na qual líderes religiosos pediram um acordo internacional e se comprometeram a trabalhar com suas comunidades pela erradicação dos efeitos climáticos.

Fonte: Guia-me com informações de The Christian Today