Culto pentecostal
Culto pentecostal

Uma pesquisa realizada pelo Datafolha mostrou que os evangélicos no Brasil já são 31% e 50% são católicos. O que mostra que no total, 81% dos brasileiros se declaram cristãos.

As mulheres correspondem a 58% dos evangélicos no Brasil, seis pontos acima da parcela feminina do país (52%), segundo pesquisa Datafolha feita nos dias 5 e 6 de dezembro do ano passado, com 2.948 entrevistados em 176 municípios de todo o país. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

Segundo a pesquisa, este número pode chegar a 69% entre as congregações neopentecostais, aquelas que contempla igrejas como a Universal do Reino de Deus, Internacional da Graça de Deus, Mundial do Poder de Deus e a Renascer em Cristo.

Entre os católicos,a pesquisa mostra que as mulheres representam 51%, e homens, 49%.

O universo evangélico é mais negro do que o católico. Somados, os que se declaram pretos ou pardos são 59% entre os evangélicos e 55% entre os católicos. Já os brancos, no catolicismo, são 36%, contra 30% no meio evangélico.

A pesquisa também mostrou que porção de jovens crentes é de 19% e está na média nacional que é de 18%. Já os católicos nessa faixa etária (16 a 24 anos) são mais escassos, 13%.

Em relação aos mais velhos, 25% dos que estão com 60 anos ou mais segue a linha do Vaticano, e 16%, a evangélica.

As rendas familiares não diferem tanto assim entre um filão religioso e outro. Quase metade dos dois blocos ganha até dois salários mínimos, e 2% de cada um deles dizem viver com mais de 10 salários mínimos.

Entre os evangélicos, os que ganham até 2 salários mínimos são 48%. De 2 a 3 salários mínimos, 21%. De 3 a 5 salários mínimos, 17%. De 5 a 10 salários mínimos, 7% e mais de 10 salários mínimos são 2%.

Já entre os católicos, os que ganham até 2 salários mínimos são 46%. De 2 a 3 salários mínimos, 21%. De 3 a 5 salários mínimos, 17%. De 5 a 10 salários mínimos, 9% e mais de 10 salários mínimos são 2%.

A pesquisa também analisou o crescimento religioso por região do Brasil. A região Norte (que junto com o Centro-Oeste possuem as áreas menos povoadas do país, com 8% dos brasileiros cada uma) é a que tem a maior proporção de fiéis evangélicos (39%). O Nordeste tem a menor (27%). O Sudeste tem 32%, Sul 30% e Centro-Oeste, 33%.

Já os católicos têm no Sudeste 45%, Sul 53%, Nordeste 59%, Centro-Oeste 49% e Norte 50%.

Mesmo formando a maioria dos evangélicos, “boa parte das mulheres e dos negros mantém opiniões divergentes das que predominam nas igrejas”, aponta Mauro Paulino, diretor-geral do Datafolha.

“São os segmentos mais críticos ao governo Bolsonaro, que tem apoio explícito dos bispos. Para muitos evangélicos, especialmente os mais pobres, a realidade violenta e carente das periferias se sobrepõe às possíveis orientações políticas dos cultos.”

Analisando a escolaridade, os números mostram que evangélicos e católicos não têm muita divergência.

Considerando os evangélicos, os que possuem apenas ensino fundamental são 35%; o ensino médio, 49% e os que possuem ensino superior são 15%. Já entre os católicos, os números são 38%, 42% e 20%, respectivamente.

Complementando os dados sobre religião, a pesquisa ainda mostrou que 10% se declaram sem religião, 2% são da Umbanda, candomblé ou outras religiões afro-brasileiras, ateus são 1% e judeus 0,3%.

Fonte: Folha de S. Paulo