Daniel dos Santos e o pai, Anderson do Carmo
Daniel dos Santos e o pai, Anderson do Carmo

Único filho biológico da deputada federal Flordelis dos Santos de Souza (PSD) com o pastor Anderson do Carmo de Souza, assassinado no último 16 de junho, o músico Daniel dos Santos de Souza, de 21 anos, teria rompido relações com a mãe e saído de casa há mais de duas semanas.

O jornal DIA apurou que ele tem ajudado a Polícia Civil e o Ministério Público nas investigações na tentativa de esclarecer o assassinato do pai. Dois filhos do casal estão presos acusados pelo assassinato, que aconteceu em Pendotiba, Niterói, Região Metropolitana do Rio.

Daniel não é o primeiro filho a romper com a mãe após a morte de Anderson. Luan Santos e Wagner de Andrade Pimenta, o vereador Misael da Flordelis (MDB), ambos filhos adotivos do casal, foram os primeiros a deixar de conviver com a parlamentar após o crime.

Eles também deixaram o Ministério Flordelis, igreja criada pela deputada e Anderson. Ao todo, Flordelis tem 55 filhos, quatro são biológicos.

Os três filhos do casal organizam uma homenagem para Anderson, no próximo domingo. O ato está marcado para às 10h, no bairro Laranjal, em São Gonçalo, em frente ao local onde estava sendo construída uma nova igreja do Ministério Flordelis, criado por Anderson e a deputada.

Em grupos de WhatsApp ligados ao Ministério Flordelis, do qual Daniel, Misael e Luan foram excluídos, outros filhos e funcionários da parlamentar criticam o ato e afirmam que o manifesto não tem ligação com a pastora e nem com a igreja.

“Essa movimentação não está sob nossa responsabilidade”, diz texto que está sendo replicado nos grupos. No protesto, a mãe e Michele do Carmo dos Santos, irmã do pastor, estarão presentes. A assessoria de imprensa de Flordelis disse que ela não participará do ato.

Flávio e Lucas continuaram presos

Na quinta-feira, a Justiça decidiu que Flávio dos Santos Rodrigues, 38, e Lucas Cézar dos Santos de Souza, 18, acusados pelo crime, prorrogou a prisão de ambos por mais 30 dias. À Polícia Civil, Flávio disse que atirou no pai seis vezes.

A confissão, no entanto, foi contestada pelo advogado do acusado alegando que ele prestou depoimento sem a presença de um defensor. Laudo do Instituto Médico Legal (IML) aponta que foi encontrado no corpo do pastor trinta perfurações. Já Lucas disse que indicou o local onde Flávio deveria comprar a arma, uma pistola 9mm.

A arma foi apreendida na casa de Flordelis e perícia comprovou que ela foi usada para matar o pastor. A morte de Anderson completou um mês na última terça-feira e até agora não há mandante do crime.

A Polícia Civil, agora, espera o Supremo Tribunal Federal (STF) decidir de quem é a competência para continuar com as investigações sobre o caso que tenham relação direta com Flordelis por ela ser deputada federal.

Fonte: O Dia