Cristão ferido no Paquistão
Cristão ferido no Paquistão

Um grupo de vigilância documentou graves casos de violência contra cristãos no Paquistão, incluindo o assassinato de um pai e o espancamento de uma família por um grupo muçulmano, neste mês.

De acordo com a International Christian Concern, o homem foi assassinado no dia 2 de agosto em Lahore, durante seu aniversário de casamento.

O grupo explica que o cristão havia pedido a um de seus amigos muçulmanos que lhe pagasse o dinheiro que ele lhe emprestara. O advogado Tariq Zia explicou que a cristã, Vicky Masih, foi ameaçada pelo muçulmano Muhammad Ilyas, que o chamou de “choora” (um termo depreciativo usado contra cristãos que os denota como sujo e intocável) e disse que ele estaria “ensinando” uma lição”.

“Em pouco tempo, a festa se transformou em uma troca de duras palavras, um confronto físico, e terminou com o assassinato de Vicky”, disse Zia. Masih, pai de três filhos, teria sido baleado no estômago e depois morreu no hospital.

Dezesseis dias depois, outra família cristã, chefiada pelo pai Alvin John, foi espancada por se recusar a permitir que sua filha de 19 anos fosse forçada a se casar com um muçulmano. “Eu mudei minha família para esta casa alugada há cerca de 10 meses”, disse John.

“No início, nos pediram para sair por causa de alguns vizinhos muçulmanos e por causa da nossa fé cristã. Mas desde a Páscoa, fomos pressionados, ameaçados e provocados. Minha filha de 19 anos, Aresha, tornou-se o alvo”, acrescentou.

“Eles seguiram minha filha nas ruas e nos mercados, oferecendo a ela um futuro brilhante e seguro se ela se convertesse”. A família tentou negociar com os anciãos da área para resolver o problema, mas foram atacados.

“Uma multidão de muçulmanos, liderada por Muhammad Samad Zaheer, atacou a mim e minha família por volta das 11:00 da noite do dia 18 de agosto”, acrescentou o pai. “Eles danificaram o olho esquerdo do meu filho, Vickram John. Os médicos não têm esperança sobre sua visão”.

“Os agressores também quebraram a maior parte das coisas da casa, móveis, portas e janelas. Não podemos voltar para casa porque há agitação na vizinhança. Agora estamos nos abrigando com parentes”, informou.

Os cristãos frequentemente sofrem violências severas nas mãos de grupos muçulmanos. Em outro ataque, no dia 2 de agosto, um grupo de 50 radicais islâmicos espancou um grupo de cristãos que estavam protegendo sua igreja na vila de Waran Chak Balyana, em Kasur.

Os feridos incluíam uma adolescente de 18 anos, que precisava de oito pontos nos lábios e um menino de 10 anos, cujo braço esquerdo estava quebrado.

Fonte: Guia-me