Personagem Robin como bissexual. (Foto: Reprodução / Twitter)
Personagem Robin como bissexual. (Foto: Reprodução / Twitter)

O personagem Robin, mais conhecido como o companheiro de longa data do Batman, agora é um personagem bissexual, como visto na última edição de “Batman: Urban Legends”.

A edição nº 6, que saiu na terça-feira (10), apresenta o personagem Tim Drake, a terceira interação de Robin no Universo DC Comics, enquanto ele visitava seu amigo, Bernard Dowd, para jantar.

Conforme relatado pelo CBN News, o usuário do Twitter Markus.S postou várias imagens do diálogo entre os dois jovens.

Antes da visita, Bernard diz a Robin para dizer a Tim que ele gostaria que eles tivessem terminado o encontro após o jantar, sem perceber que Drake é o próprio Garoto Maravilha.

Mais tarde, Tim faz uma visita à casa de Bernard, na qual seu amigo o convida para sair.

“Estou muito feliz que você tenha chegado em casa bem. Tenho pensado muito sobre aquela noite, e eu – eu não sei o que isso significou para mim”, disse Tim, referindo-se ao passeio anterior. “Ainda não. Mas eu gostaria de descobrir.”

“Eu estava esperando que você fizesse. Tim Drake … você quer sair comigo?”, Bernard pergunta.

“Sim … Sim, acho que quero isso”, responde Tim.

Meghan Fitzmartin, que escreveu a edição, explicou que seu objetivo ao escrever a série era “mostrar o quanto Deus ama você”.

“Você é incrivelmente amado, importante e visto”, ela tuitou. “Sempre grato por ter a confiança de Tim Drake e sua história e honrado em trabalhar com os talentosos @BelenOrtega_ e @loquesunalex.”

Enquanto alguns fãs elogiaram Fitzmartin pela mudança de personagem, outros a criticaram por tentar impor uma “agenda política”.

“É tão bom, não é? Forçar sua agenda política em um personagem que você não criou nem contribuiu para nada de bom ou mesmo relevante apenas para espantar os fãs”, escreveu o usuário InkedJao.

Robin de Tim Drake é adicionado à lista crescente de personagens LGBTQ da DC Comics, incluindo a Mulher-Gato de Kate Kane, Harley Quinn, Poison Ivy, Renee Montoya, o Lanterna Verde de Alan Scott e outros personagens secundários.

A Marvel Comics também fez o mesmo recentemente, após revelar seu primeiro personagem gay, Capitão América, durante o mês do Orgulho, em junho.

Enquanto isso, o personagem Loki foi rotulado como “fluido de gênero” na recente série Disney +, Loki.

Fonte: Guia-me com informações de Christian Headlines