Durante a mensagem de Natal, proferida na sacada da Basílica de São Pedro, em Roma, nesta terça-feira, o papa Bento 16 pediu a resolução dos conflitos no Oriente Médio, Iraque e África.

Milhares de fiéis se reuniram em frente à Basílica para ouvir a tradicional benção Urbi et Orbi (À cidade e ao mundo, em latim). Durante o discurso, o pontífice afirmou que as tensões étnicas, religiosas e políticas estão “destruindo as estruturas de muitos países e prejudicando as relações internacionais”. Bento 16 pediu aos líderes políticos “sabedoria e coragem para encontrar soluções humanas e duradouras”. O discurso de Bento 16 foi transmitido para vários países e seguido de uma mensagem de Natal em 60 línguas, inclusive em português. Na madrugada desta terça-feira, na missa do galo, o papa havia pedido para que os fiéis “encontrassem mais tempo para se dedicar a Deus e aos mais carentes”.

Ao redor do mundo Além da missa do galo, no Vaticano, milhares de cristãos pelo mundo comemoraram o Natal nesta terça-feira. Na cidade de Belém, na Cisjordânia – descrita na Bíblia como local do nascimento de Cristo – milhares de pessoas se reuniram para celebrar a missa da meia-noite na Igreja da Natividade. O presidente palestino, Mahmoud Abbas, esteve entre os presentes na missa em Belém.

“O ano novo, se Deus quiser, será um ano de segurança e estabilidade econômica. Nós oramos para que seja o ano da independência do povo palestino”, disse o líder. As autoridades locais disseram que Belém recebeu o dobro de visitantes neste ano, em comparação com o Natal de 2006.

Os temores sobre a segurança na Cisjordânia e a construção de um muro de concreto de oito metros de altura separando a cidade de Jerusalém têm afastado turistas de Belém nos últimos anos. Desde o segundo levante palestino, que começou em setembro de 2000, o turismo decaiu na cidade.

Mas com a estabilidade dos últimos dois anos, turistas e peregrinos têm voltado à cidade em grande número.

“Entre 25 e 35 mil peregrinos e turistas estarão na cidade hoje (terça-feira) e amanhã, o dobro do ano passado”, afirmou o prefeito de Belém, Victor Batarseh.

Segundo a correspondente da BBC Bethany Bell, a cidade ainda está recebendo menos turistas do que recebia antes de 2000.

Ainda há forte presença policial na cidade. Antes da chegada dos turistas, forças de segurança fizeram uma varredura em carros e prédios em busca de explosivos.

Fonte: BBC Brasil