O papa Bento 16 manifestou nesta segunda-feira preocupação com os cristãos que vivem no Oriente Médio, durante um encontro com Aram primeiro, líder espiritual da Igreja Apostólica da Armênia no Líbano, no Vaticano.

“As tensões e os conflitos continuam destruindo os esforços para alcançar a reconciliação e a paz em todos os níveis da vida política e civil na região”, afirmou o pontífice que afirmou que fica “triste com o aumento das perseguições e da violência contra os cristãos em algumas regiões do Oriente Médio”.

“A paz só poderá ser construída sobre bases sólidas se os países afetados determinarem seus próprios destinos e se os diferentes grupos étnicos e religiosos se aceitarem totalmente”, afirmou Bento 16.

Foi a primeira vez que o papa recebeu no Vaticano Aram primeiro, patriarca do Cilício dos Armênios, ramo libanês da Igreja Apostólica da Armênia, cuja fundação remonta ao século 3.

Aram primeiro, por sua vez, pediu que “as igrejas, as religiões e os Estados reconheçam os genocídios cometidos, incluindo o armênio, e se comprometam a preveni-los, apoiando o direito de todos os povos à autodeterminação e à dignidade”. “Este é um assunto crucial para a paz no mundo”, disse.

Fonte:Folha Online