Um pastor da Igreja Pentecostal da Nação de Deus, no rio Branco, Acre, foi espancado pelo vereador Alonso Andrade (PSDB), nesta terça-feira (23), na rua Baixa Verde, no bairro Alto Alegre.

O pastor José Augusto da Silva Maia sofreu ferimentos no rosto e diversas escoriações por todo o corpo, consequência dos socos e chutes que levou. O motivo teria sido porque ele negou apoiar Bocalom, candidato que o vereador fazia campanha.

A violência foi denunciada na Delegacia da 5° Regional, no conjunto Adalberto Sena.

O pastor, que tem um dos lados do corpo paralisado em virtude a um derrame recente, contou que o incidente ocorreu quando encontrou o vereador convocando os moradores para o evento do candidato Tião Bocalom.

“Ele passou e me chamou para participar, mas eu disse que não queria nada com esse tal de Bocalom. Disse também que não queria conversa com ele, pois quando foi vereador no mandato passado, ele prometeu que iria colocar umas vans no bairro para o transporte dos moradores, mas nunca cumpriu”, disse o pastor, segundo o AC Notícia.

Segundo José Augusto, ao ouvir sua resposta, o vereador teria descido de seu carro e ido em sua direção para agredí-lo. “Ele me bateu com muita força no rosto. Quando eu cai no chão ele me chutou diversas vezes. Eu não consegui me defender porque não tenho todos os movimentos do braço, mas consegui fugir, mas ele saiu correndo atrás de mim”.

O pastor já teria conversado com o vereador outras vezes, pedindo melhorias ao bairro, incluindo a reivindicação do transporte, como que foram ignoradas.

Diversas testemunhas presenciaram o ato, que aconteceu em frente a um bar popular na rua Baixa Verde. Elas tentaram impedir a violência, mas não conseguir evitar que saísse ferido.

“Eu tentei filmar, mas não consegui pegar o telefone a tempo”, contou uma das testemunhas da agressão que pediu para não ter o seu nome revelado. “Fico todo mundo revoltado com o que ele fez, mas ele não deu atenção para ninguém. Entrou no carro e foi embora como se nada tivesse acontecido”, completou.

Depois da agressão dois deputados – Walter Prado e Astério Moreira do PEN – se mobilizaram para aprovar uma moção de apoio ao pastor aos membros da Mesa Diretora.

Segundo Moreira, que foi colega de Alonso Andrade na Câmara Municipal de Rio Branco, o vereador seria pavio curto e reagiria de forma violenta quando contrariado, segundo informou o AC 24 horas.

[b]Fonte: The Christian Post[/b]