Phil Abeyta, respeitado pastor hispânico de Denver (Estado do Colorado, EUA) e tio do jovem identificado como o atirador que invadiu dois centros religiosos no domingo, falou em nome dos familiares de Matthew Murray e pediu que os perdoem pela tragédia.

Abeyta pediu perdão pela tragédia causada por seu sobrinho, Matthew Murray, jovem de 24 anos a quem as autoridades atribuem responsabilidade pelos ataques realizados no domingo a dois centros religiosos realizados que deixou quatro vítimas fatais.

O pastor dirige uma congregação de 300 pessoas na igreja His Love Fellowship (localizada algumas quadras ao sul do centro da cidade).

A mãe de Murray (irmã de Abeyta) é a diretora de ministério femininos da igreja.

“Nossa família não tem como expressar a magnitude da nossa dor pelas vítimas e as famílias afetadas por esta tragédia”, declarou Abeyta na noite desta segunda-feira em breve entrevista coletiva.

Após ler o comunicado, nem Abeyta, nem os dois pastores que o acompanhavam, Peter Warren, diretor de Juventude com Uma Missão (YWAM, em inglês), nem Jim Wurst, também de His Love Fellowship, responderam a perguntas da imprensa.

A sede de YWAM em Arvada, ao noroeste de Denver, foi onde ocorreu o primeiro tiroteio, no qual duas pessoas morreram e outras duas ficaram feridas.

Em seguida ao primeiro ataque, pouco depois do meio-dia, Murray atirou em fiéis da igreja New Life, em Colorado Springs, onde outras duas pessoas morreram e três ficaram feridas.

Murray foi abatido por uma segurança da igreja New Life.

Membros da congregação de Abeyta disseram aos meios de comunicação que a família Murray é muito religiosa, mas que há alguns anos Matthew deixou a igreja, embora tenha se dito que mais tarde começou a freqüentar outra.

Em 2001 Murray também quis ser um missionário com a YWAM, mas não conseguiu “por razões de saúde” (não foram dados detalhes).

Inscreveu-se na Universidade Católica do Colorado, mas abandonou os estudos pouco depois.

As autoridades especulam que essas duas situações teriam levado Murray a “odiar os cristãos”, como ele expressou em sua página na internet, na qual também antecipava os crimes que já tinha planejado cometer.

Há poucas semanas Murray visitou His Love Fellowship e conversou com outros jovens sobre jogos eletrônicos.

“Tudo parecia normal. Nada fazia prever esta tragédia”, comentou Abeyta.

His Love Fellowship foi fundada há quase três décadas e até hoje muitas famílias continuam nesta igreja, formando “um grupo muito unido, dedicado também a trabalhos de ajuda à comunidade”, disse Wurst.

Fonte: EFE