Placa em Nova Iguaçu com a frase “Essa cidade pertence ao Senhor Jesus”
Placa em Nova Iguaçu com a frase “Essa cidade pertence ao Senhor Jesus”

Uma placa colocada em uma das entradas de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, está gerando polêmica na cidade. A saudação é acompanhada da frase “Essa cidade pertence ao Senhor Jesus”.

O recado está na Avenida Baltimore, perto da entrada da Rodovia Presidente Dutra, no bairro Jardim Esplanada.

A imagem da placa viralizou nas redes sociais e virou alvo de críticas de religiosos e moradores do município. A Prefeitura de Nova Iguaçu se recusou a falar sobre a mensagem.

Para Adailton Moreira, babalorixá do Terreiro Ilê Omiojuáro e coordenador da campanha “Luto na luta contra o racismo religioso”, a frase na placa é um descaso com outras manifestações e expressões religiosas do município:

“É um processo de invisibilidade a outras expressões que compõem o cenário inter-religioso da cidade e, antes de tudo, fere a laicidade do estado brasileiro.“

Adailton, que também é mestrando em Educação pela Uerj e integra o grupo de pesquisa Kekerê, afirma que a cidade deve pertencer aos seus moradores:

“A cidade pertence a cidadãos e cidadãs que cumprem seus deveres e pagam seus impostos. Um gestor público não pode fazer proselitismo religioso.“

A relação entre política e religião também é vista com cuidado pelo padre Renato Chiera, fundador da Casa do Menor São Miguel Arcanjo. Para ele, “o estado não deve casar com nenhuma religião”.

“Dizer que pertence a Jesus soa um pouco pretensioso porque parece querer impor uma religião cristã. Devemos ter cuidado para não sermos intolerantes e radicais como o Estado Islâmico. A tradição cristã pertence às raízes brasileiras, mas o estado deve ser laico, respeitando todas as religiões“, concluiu o sacerdote, durante a cerimônia de inauguração do Centro Cultural Presença Rosa dos Ventos.

O bispo de Nova Iguaçu, Dom Luciano Bergamin, preferiu evitar a polêmica, mas ressaltou a importância da neutralidade do estado:

“Espero que todos os lugares sejam de Jesus. Não quero guerra religiosa nem vou apagar o que está escrito, mas é importante que quem escreveu repeite as religiões dos outros e aqueles que não têm religião.“

Na cidade, moradores deram opiniões divididas. Para a técnica de Enfermagem Patrícia de Carvalho, de 41 anos, há preocupações mais urgentes no município do que confeccionar e pendurar uma placa com uma saudação religiosa.

“Na cidade, há várias pessoas de outras religiões. Mesmo que estivesse escrito um nome relacionado à minha religião, eu discordaria. A cidade está uma bagunça: violência, ruas que alagam. Então, essa placa é um desrespeito às outras religiões“, ressalta Patrícia.

Mas há pessoas que não enxergam mal na saudação. É o caso da feirante Larissa da Anunciação, de 23 anos. Cristã, a jovem discorda que a placa possa ofender algum morador da cidade.

“Sou suspeita para falar porque sou evangélica desde criança. Mas acho que não ofende ninguém. As outras religiões, independentemente de quais sejam, respeitam Jesus.“

A Prefeitura de Nova Iguaçu não informou quem colocou a placa na rua ou se há informações sobre quem tenha colocado. O órgão também foi questionado se o objeto seria retirado e se alguma medida seria tomada. A administração municipal, contudo, se recusou a enviar uma resposta sobre a polêmica placa no bairro Jardim Esplanada.

Fonte: Jornal Extra