A presença do protestantismo na capital pernambucana é o tema do projeto de Sensibilização Turística, promovido pela Secretaria de Turismo e Lazer do Recife. Na foto, a Igreja Batista da Capunga.

O passeio começa pelo Cemitério dos Ingleses, no bairro de Santo Amaro, na área central do Recife, espaço criado em 1814, após permissão concedida pelos portugueses para os ingleses demarcarem um território exclusivo onde poderiam enterrar seus mortos. De lá, segue à Avenida Conde da Boa Vista, também no Centro da cidade, onde os participantes explorarão as estruturas da Igreja Presbiteriana da Boa Vista, de estilo neogótico, e a primeria Igreja Batista do Recife.

Ainda na Boa Vista, o tour passará pelas igrejas Batista da Capunga e Evangélica Congregacional Pernambucana. Os próximos pontos são na Zona Norte da capital pernambucana. Serão visitadas a Catedral Anglicana da Santíssima Trindade, no Espinheiro, e a Paróquia Luterana do Recife, em Casa Amarela.

O primeiro tour sobre o assunto ocorre neste sábado (18). A saída será às 14h, da Praça do Arsenal, no Recife Antigo. Para participar, os interessados devem se inscrever nesta sexta-feira (17), a partir das 8h, pelo telefone (81) 3355-8605. A Secretaria de Turismo e Lazer pede que os participantes levem, no dia do passeio, um quilo de alimento não perecível que será doado para instituições de caridade.

O tour é realizado em um ônibus com ar-condicionado, acompanhado por guias de turismo. O passeio sobre o protestantismo no Recife também acontecera no último sábado do mês, no dia 25 de janeiro.

[b]PROTESTANTISMO[/b]

A Reforma Protestante, movimento reformista cristão, começou no início do século XVI com Martinho Lutero, na Alemanha. Entre os ideiais, propunha uma reforma na doutrina católica romana. O movimento foi um dos precursores da reforma na Igreja Católica e das Igrejas Reformadas ou Calvinistas.

Na capital pernambucana, o primeiro contato com o protestantismo foi durante a ocupação holandesa, que aqui instalaram a igreja cristã reformada. Após a expulsão dos holandeses, os moradores locais voltaram a ter contato com a doutrina no século XIX, através dos ingleses que desembarcaram em terras recifenses.

[b]Fonte: NE10[/b]