Uma manifestação nessa segunda-feira, 18 de março, reuniu mais de 100 pessoas contra a eleição do deputado pastor Marco Feliciano para a Comissão de Direitos Humanos e Minorias.

O protesto fez com que o culto em Ribeirão Preto, São Paulo, fosse suspenso na Catedral do Avivamento.

A concentração começou no centro e foi até a praça que fica em frente ao templo da Catedral do Avivamento. A manifestação forçou o cancelamento do culto. Os manifestantes fazem parte de um grupo ligado à Faculdade de Filosofia, Ciência e Letras da USP.

“Os fiéis estão bastante assustados com essas ondas de violência. Por isso, optou-se em cancelar”, disse o assessor Wellington de Oliveira ao jornal local ‘A Cidade’, explicando que o culto foi suspenso para a segurança da comunidade evangélica. O pastor Marco Feliciano celebra toda segunda-feira o culto no local.

Na semana passada, 11 de março, mais de 300 pessoas tinham se reunido no local para protestos. A manifestação é organizada pelo Facebook e tem a participação de estudantes universitários, ativistas sociais, integrantes do movimento LGBT e simpatizantes. O culto do próximo sábado, 16 de março, que seria realizado em Guará, também foi cancelado.

Diversas manifestações estão sendo feitas desde a indicação do Partido Social Cristão (PSC) do deputado Marco Feliciano para o cargo. Em um culto realizado em Franca, São Paulo, no dia 10 de março, também aconteceram atos de repúdio contra o deputado. Após o incidente, a agenda atualizada do pastor foi retirada do seu site.

“Não se contentando o movimento começou a ofender com palavras de baixo calão, ameaças de violência e depredação. Feliciano estava acompanhado de sua família, inclusive com suas filhas pequenas que choraram muito quando os manifestantes atacaram o carro onde estavam”, informou a assessoria do deputado Marco Feliciano sobre os protestos durante um culto.

Feliciano também comentou sobre o caso em suas redes sociais. Hoje eu vi a intolerância encarnada. “Minhas filhas pequenas de 10 e 11 anos chorando e se agarrando a mim dizendo vão nos machucar papai?”, comentou. “Chutes e cuspes no meu carro. Palavrões e gestos obscenos ferindo a integridade de minhas crianças que estavam no carro comigo”, escreveu ainda em seu Twitter. “Depedraram patrimônio dos membros da igreja e mal consegui pregar, aos berros atrapalharam o culto, e amedrontaram todos os presentes”, postou no microblog.

[b]Fonte: The Christian Post[/b]