Pastor Silas Malafaia

Henrique Gimenes
Pleno.News

O pastor Silas Malafaia publicou um vídeo em suas redes sociais, nesta segunda-feira (17), para falar do aborto feito pela criança de 10 anos que foi estuprada pelo tio. Na gravação, ele condenou o procedimento, defendeu a castração de estupradores e criticou as feministas.

O procedimento na menina foi concluído nesta segunda após a Justiça autorizar o aborto. A criança estava grávida do tio, que a estuprava desde os 6 anos de idade. Ao falar sobre o caso, Malafaia chamou o aborto de uma “coisa horrorosa” e defendeu que estupradores sejam castrados.

– Fizeram um aborto em uma garota de 10 anos com mais de 5 meses de gravidez fruto de um estupro. E eu não trabalho esse assunto na base da emoção porque essas feministas do inferno, inescrupulosas, elas se utilizam da comoção emocional para tirar proveito de uma coisa horrorosa que é o aborto (…) Antes de tudo, quero deixar bem claro que, para mim, um desgraçado que comete um estupro, seja em criança ou em qualquer pessoa, esse miserável deveria ser castrado – destacou.

O pastor então falou da importância do direito à vida.

– Existe uma coisa chamada hierarquia das leis. Qual é a lei mais importante? O direito à vida. É a mãe de todos os direitos (…) O caput do artigo 5º da Constituição diz que a vida é inviolável (…) O estupro é uma coisa horrorosa, mas mais horroroso do que o estupro, é matar uma vida – ressaltou.

Ele então criticou a “cultura da morte” e o fato de a vida ter sido “colocada como lixo”.

– O que eu fico indignado é como a cultura da morte tem dinheiro. Os médicos no ES não quiseram fazer o aborto porque o pequeno bebê tem quase 6 meses. Pagaram avião e levaram a garota para Recife. Essas miseráveis dessas feministas. Como é que pode isso? Protetores de mulher. O pequeno bebê que foi abortado é uma menina. Indefesa. E esse miserável desse juiz que permite isso tinha que estar na cadeia. Um desgraçado desses. As leis desse país são para quê? Isso é uma vergonha. A vida sendo colocada como lixo. Esse miserável desse médico aborteiro e essa cambada de assassinos vão pagar um preço caro diante de Deus – apontou.

Malafaia disse que a menina de 10 anos não seria obrigada a criar o filho e apontou que mulheres que abortam têm “nove vezes mais propensão a ter um problema em uma segunda gravidez”.

– Essa menina não era obrigada a criar essa criança. Agora escute o que escondem esses covardes bandidos da sociedade. Uma mulher com uma gravidez indesejável de um estupro, ela vai sofrer nove meses, para depois ela ficar a vida toda livre ao conceber. Ela não é obrigada a conceber essa criança. Agora uma mulher que aborta, ela pode até ter um dia livre para passar uma vida toda de sequelas psíquicas, emocionais e físicas. Uma mulher que aborta, seja legal ou ilegal, ela tem nove vezes mais propensão a ter um problema em uma segunda gravidez do que uma mulher que gera uma criança e dá à luz a uma criança – afirmou.

Por fim, o pastor voltou a defender que estupradores sejam punidos com todo o rigor da lei, mas ressaltou que o aborto é um crime “pior”.

– A cultura da morte é do inferno e é diabólica. Eu creio que o Brasil deve ter leis duríssimas contra esses desgraçados que cometem estupros. Mas não podemos abrir e, em nome de um crime, cometer um crime pior. Porque pior do que o estupro, é o assassinato de um ser indefeso – concluiu.

Fonte: Pleno News