Assim como o padre Nguyen Van Ly foi condenado a oito anos de prisão no dia 29 de março por distribuir “material prejudicial” ao Estado, dois advogados protestantes, acusados do mesmo “crime”, aguardam o mesmo tipo de pena severa.

Observadores de direitos humanos dizem que este é o mais cruel avanço praticado contra os cristãos vietnamitas dos últimos 20 anos.

O advogado Nguyen Van Dai, 38 anos, membro da principal congregação de Hanoi que pertence a Igreja Evangélica Vietnamita, legalmente reconhecida pelo Estado desde 2000, foi preso no dia 2 de março. Ele havia documentado violações aos direitos humanos no Vietnã.

Segundo o pastor Au Quang Vinh, da Igreja de Hanoi, a advogada Le This Cong Nhan, de 27 anos, também foi presa no início de março. Ela havia acabado de concluir um curso da doutrina cristã para novos convertidos na mesma igreja em que se preparava para o batismo.

Os dois advogados têm amigos em igrejas não registradas do Vietnã. Nguyen Dai também é membro da Advocacia Internacional, organização que congrega advogados cristãos de direitos humanos em diversos páises.

As autoridades proibiram a esposa de Nguyen Dai, Khanh, de visitá-lo e o telefone de sua casa e celular foram cortados. Uma fonte cristã disse que a polícia tentou incitar os vizinhos contra ela.

Um advogado de 80 anos, Tran Lam of Hai Phong, está se empenhando em defender Nguyen Dai, mas em contrariando a lei do país, a polícia não permitirá que ele tenha contato com Nguyen, segundo a fonte. As autoridades proibiram o advogado de levar sua Bíblia e seus medicamentos para a prisão.

Mídia

Na seqüência das prisões, a imprensa oficial vietnamita também noticiou o caso e retratou os advogados de modo desfavorável. Nos dias 14 e 17 de março, o jornal “An Ninh The Gioi”, órgao oficial do ministério de Segurança Pública, publicou quatro páginas mostrando a visão do governo e relatando o caso contra os advogados.

Os advogados foram descritos como pessoas sem a capacidade de manter um emprego depois da graduação na escola de direito. O artigo diz que Nguyen Dai chegou à faculdade sem a graduação suficiente por causa da influência de seu pai , que era membro do partido Comunista.

A reportagem retrata ambos os advogados como criminosos. Nguyen Dai teria recebido do departamento de Estado norte-americano uma bolsa de estudos para estudar Direito nos Estados Unidos, depois teria recebido ajuda para estudar sobre Internet e segurança de computadores nas Filipinas. Ele também é acusado de relatar a países inimigos do Vietnã supostas “infrações à liberdade religiosa”.

Le This Nhan é acusada de agir contra a elite dominante em favor de “um mercado independente e unido”. Os dois advogados são acusados de manter contato com outros dissidentes do país e com outros contra-revolucionários exilados no exterior, por quem teriam sido financiados. Eles também são acusados de ensinar estudantes e outros jovens advogados “os valores de direitos humanos do Ocidente”.

Eles também respondem por envolvimento com o movimento pró-democrático, chamado Bloco 8406, que teve início há um ano. O padre católico Van Ly também foi sentenciado por ajudar o Bloco 8406. Aos 60 anos, o padre que está em prisão domiciliar desde fevereiro, passou 14 dos úiltimos 24 anos na prisão.

As atividades de Nguyen Dai na defesa dos direitos humanos, além da liberdade de culto, geraram polêmica na comunidade evangélica vietnamita. Muitos protestantes acreditam que é muito arriscado desafiar o monopólio político do Estado com essas questões.

O departamento de Estado norte-americano, que defendeu energicamente a remoção do Vietnã da lista de países com pior liberdade de culto desde novembro, tem testemunhado alguns eventos recentes e refletido sobre o assunto.

O embaixador norte-americano no Vietnã, Michael Marine, falou recentemente, de forma diplomática, sobre a tomada de posição e dos direitos dos cidadãos vietnamitas de se expressarem livremente diante de problemas políticos e de direitos humanos.

No dia 6 de abril ele convidou as esposas de quatro priosioneiros dissidentes, incluindo a esposa de Nguyen Dai, assim como a mãe de Le This Nhan, a uma recepção em sua residência.

A polícia impediu três das mulheres de deixar os bairros onde moram e impediu as outras duas formando um cordão de isolamento do lado de fora da residência do embaixador.

De acordo com a Associated Press, o embaixador se queixou ao primeiro ministro vietnamita e ao ministro de Relações Exteriores Phan Gia Khiem. “Vocês têm 15 homens cercando duas mulheres, gritando e apontando armas de fogo contra elas”, disse o embaixador norte-americano. “É inaceitável que mulheres sejam tratadas dessa maneira”.

Um observador que acompanha a situação no Vietnã há longo tempo declarou o seguinte: “As pessoas podem estar conseguindo um acesso crescente à liberdade de ‘crer’, mas, quando ativistas motivados por sua religião cristã agem de acordo com a crença de que a dignidade humana é um direito inalienável, eles ainda são processados na República Socialista do Vietnã, onde a defesa pacífica dos direitos humanos é considerada um delito criminal”.

Fonte: Portas Abertas