Igreja na Nigéria (Foto: Portas Abertas)
Igreja na Nigéria (Foto: Portas Abertas)

No início de julho, homens armados fizeram o sequestro de estudantes de um internato cristão no Noroeste da Nigéria. Durante o incidente, os agressores abriram fogo e dominaram os seguranças do Colégio Batista Betel, no estado de Kaduna, e levaram 140 estudantes. Desde a data, os extremistas libertaram alguns alunos e, nos últimos dias, mais alguns jovens foram soltos do cativeiro.

Os noticiários informam que outros 15 alunos da Escola Batista Bethel foram libertados. O líder John Hayab, administrador da escola, disse à agência Reuters que os pais levantaram o dinheiro e pagaram um resgate para libertar os alunos.

Os governantes do país se posicionaram contra o pagamento de resgate. Mas os pais dos jovens sentiram que não teriam outra alternativa. A polícia diz que os esforços continuam para garantir a libertação dos outros 65 estudantes que permanecem em cativeiro.

As escolas tornaram-se alvos de grupos armados, eles sequestram em massa com objetivo de arrecadar dinheiro do resgate. O primeiro grupo a usar esse tipo de ação na Nigéria foi o Boko Haram, porém, a prática foi adotada por outras facções criminosas na África Ocidental.

A Nigéria ocupa o 9º lugar na Lista Mundial da Perseguição 2021 e muitos cristãos são assassinados e sequestrados no país por causa da fé.

Fonte: Portas Abertas