Em debate entre os candidatos a prefeito de São Paulo, o arcebispo de São Paulo, cardeal dom Odilo Scherer, voltou a criticar as igrejas que são transformadas, segundo ele, em “currais” e “cabrestos” eleitorais.

“Esse poder de fazer a propaganda e de fazer a mobilização de algum candidato cabe especificamente aos cristãos leigos dentro da igreja”, disse o cardeal.

Sua fala seguiu o tom do texto divulgado no domingo em que fez críticas veladas ao candidato Celso Russomanno (PRB).

Líder nas pesquisas, Russomanno não foi ao debate que acontece nesta quinta-feira (20). Ele alegou que só iria caso fosse recebido antes pelo cardeal para discutir a polêmica com a Igreja Católica, o que não aconteceu.

De acordo com dom Odilo, a igreja tem procurado manter uma posição coerente no processo eleitoral, sem indicar um candidato especifico.

“Entretanto, [a arquidiocese] também deu orientações e critérios sobre a participação dos fiéis leigos.”

Para ele, o uso da religião na política “poderia deixar divisões e feridas dificilmente cicatrizáveis no seio das religiões e das comunidades religiosas”.

No domingo, dom Odilo Scherer orientou os padres de 300 paróquias sob seu comando a ler na missa o texto com as críticas.

Dias antes, a arquidiocese havia divulgado uma nota rebatendo o presidente da sigla, Marcos Pereira, que é bispo licenciado da Igreja Universal do Reino de Deus.

Os textos foram uma resposta a artigo de Pereira, ligando a igreja ao chamado “kit gay”, de cartilhas anti-homofobia.

No início do debate de hoje, o cardeal evitou criticar Russomanno pela falta. Ele disse apenas que foram convidados os cinco candidatos mais bem posicionados nas pesquisas eleitorais, “sem distinção de partido”.

Em nota, a arquidiocese lamentou a ausência do candidato e lembrou que o convite para o debate foi feito antes do episódio envolvendo o presidente do PRB.

Participam do debate os candidatos José Serra (PSDB), Fernando Haddad (PT), Gabriel Chalita (PMDB) e Soninha Francine (PPS).

Na primeira parte do evento os candidatos não comentaram a ausência de Russomanno. O debate também foi marcado interrupções da fala dos candidatos por problema no marcador de tempo.

[b]Fonte: Folha de São Paulo[/b]