Pelo quarto ano consecutivo foi realizado, em frente à Quinta residencial de Olivos, a concentração de igrejas evangélicas, que intercedeu pela “reconciliação e perdão dos argentinos” e pelo aparecimento, com vida, de Jorge Julio López, testemunha chave em processo movido contra torturador na época da ditadura militar e que está desaparecido.

Centenas de fiéis reuniram-se no sábado, 30, num dos portões principais da Quinta de Olivos, lugar de residência do presidente Kirchner e sua família, na localidade de Olivos, a poucos minutos do centro da cidade de Buenos Aires. Através de telão, foram lembrados diferentes momentos da história recente do país, como a guerra das Malvinas, os milhares de desaparecidos, o atentado à AMIA e à embaixada de Israel, e a insegurança nos centros urbanos.

Os evangélico oraram pelo presidente, pelas autoridades do gabinete nacional, pelo fim da seca que atinge o norte do país e a região dos pampas e pelo controle dos incêndios florestais. Diferentemente de anos anteriores, não estiveram presentes no encontro autoridades do governo nacional nem dos municípios.

O tempo de oração foi acompanhado por cânticos interpretados pelo Instituto Canzion, de La Plata, e o Coro Unido de igrejas de Villa Martelli. Uma canção de esperança, interpretada por crianças, permitiu o fechamento do encontro com uma declaração conjunta a cargo das autoridades religiosas.

A concentração foi organizada pelo movimento de oração “Argentina, Deus te abençoe” e o Conselho Pastoral de Vicente López, com o apoio da Federação de Conselhos Pastorais Evangélicos da província de Buenos Aires (FeCoPeBa), a Federação Aliança Cristã de Igrejas Evangélicas da República Argentina (ACIERA), e a Federação Confraternidade Evangélica Pentecostal (FeCEP).

A declaração lida no encerramento admite que reconeciliação e perdão para os argentina “é um caminho difícil, mas é tempo de começar a transitá-lo, é necessário começar a curar as feridas do coração da nossa pátria, por aqueles que nos seguirão, pelo futuro das nossas crianças. Jesus ensinou o caminho da reconciliação. Ele mesmo nos ofereceu a possibilidade de ser perdoados e reconciliados com Deus, e o que Jesus fez é mais que suficiente como mostra do amor de Deus. E porque

Deus nos ama é que não só quer nos reconciliar com Ele, mas também entre nós.”

Fonte: ALC

Comentários