Culto evangélico
Culto evangélico

O governo do estado de New South Wales (NSW), na Austrália, decidiu proibir que os membros das igrejas cantem durante as transmissões de cultos on-line. A medida é supostamente para conter o contágio pelo novo coronavírus, após o surgimento de novos casos da covid-19.

O novo decreto que tem indignado os cristãos daquele país é a proibição de que os cultos, que estão sendo feitos apenas online, tenham momentos de louvor.

A medida se assemelha a uma determinação do estado da Califórnia em 2020, que proibiu momentos de louvor durante cultos presenciais em igrejas, que já estavam adotando medidas de distanciamento e limitação da capacidade do templo.

O pastor e presidente da Hillsong Church, a maior igreja da Austrália, Brian Houston, criticou a medida.

“Nosso governo propôs um decreto que nem mesmo uma pessoa pode cantar para a câmera para liderar o culto cristão ao vivo. Isso é claramente discriminação religiosa e tão arcaica que é difícil de acreditar. Cristãos levantam-se”, escreveu em seu perfil do instagram.

“Sem cantar. Não apenas sem cantar na igreja, mas com uma câmera para a igreja online. Simplesmente não está certo. Vamos nos posicionar”, acrescentou o líder evangélico da principal igreja do país.

Outros líderes do país também se pronunciaram contra a medida. Assim como Brian, afirmaram que se trata de perseguição religiosa. “É sobre isso que venho dizendo há 12 meses. A igreja precisa se levantar”, escreveu o cantor e evangelista americano Sean Feucht.

Fonte: Comunhão