“A Autoridade Palestina costuma infiltrar pessoas em projetos cristãos para que elas vejam se você está tentando converter os muçulmanos ao cristianismo ou se há qualquer motivação política envolvida”, disse o pastor Isa Baajalia, que deixou a Palestina rumo aos Estados Unidos após ameaças de morte.

“Minha equipe era muito zelosa ao orar pelas pessoas que entravam na casa, na distribuição de vitaminas, medicamentos e no cuidado de doentes”, disse ele.

Oficiais da Autoridade Palestina me advertiram: “Suas pessoas oram por pessoas muçulmanas, então você tem uma organização de evangelística que tenta converter os muçulmanos ao cristianismo”.

“Foi aí que o problema começou”, disse o pastor Isa Baajalia, que deixou Gaza rumo aos Estados Unidos e continua sob ameaça (leia mais).

Livramento

Isa Baajalia disse que ele fugiu de um seqüestro quando os amigos rapidamente o alertaram da presença de oficiais armados da milícia tanzim à sua procura e o ajudaram a sair de Ramallah em um táxi.

Ele morava em Jerusalém Oriental e viajava regularmente para Ramallah, onde tinha uma casa herdada recentemente do seu avô e onde realizava trabalhos evangelísticos.

Os pais dele eram gregos ortodoxos que nasceram em Ramallah, mas imigraram para os Estados Unidos nos anos cinqüenta ( leia mais).

O pastor pede que irmãos de todo o mundo intercedam pela região de Israel e Palestina. E também por sua vida.

Fonte: Portas Abertas