Mesmo após ter perdido em março o filho André Gomes da Silva, 22 anos, vítima de bala perdida, resultante de um tiroteio entre dois traficantes rivais em Barra de Santo Antônio, Litoral Norte de Alagoas, o calvário do pastor evangélico José Gomes da Silva parece não ter fim.

Ele recebe ameaças e intimidações dos bandidos. O chefe da quadrilha, Cícero Leandro Lira da Silva, 22 anos, o “Neno”, morreu numa troca de tiros com as polícias de São Luís do Quitunde e de Barra de Santo Antônio.

Segundo a delegada deste município, Paula Frassinete, foi Neno o autor do disparo que vitimou o filho do pastor.

Fonte: Gazeta Web