O democrata Barack Obama conquistou a Casa Branca, derrotando McCain e fazendo história ao se tornar o primeiro negro a ser eleito presidente dos Estados Unidos. Obama não ganhou a maioria dos votos evangélicos em nenhum Estado. O que já era esperado.

Obama tomará posse como o 44º presidente dos Estados Unidos em 20 de janeiro de 2009, segundo projeções das redes de TV norte-americanas. Ele terá pela frente enormes desafios, como a crise econômica, a guerra do Iraque e a reforma do sistema público de saúde.

A vitória de Barack Hussein Obama, 47 anos, filho de um negro do Quênia com uma branca do Kansas, é um marco na história dos EUA, 45 anos após o auge do movimento dos direitos civis, liderado pelo pastor Martin Luther King.

Obama ganhou em Connecticut, Havaí, Oregon, Virgínia, Washington, Califórnia, Iowa, Delaware, Distrito de Columbia, Illinois, Maine, Maryland, Massachussets, Michigan, Minnesota, New Hampshire, Nova Jersey, Novo México, Nova York, Ohio, Pensilvânia, Rhode Island, Vermont e Wisconsin.

Já McCain levou Alabama, Idaho, Arkansas, Geórgia, Kansas, Kentucky, Louisiana, Dakota do Norte, Tennessee, Oklahoma, Carolina do Sul, Virgínia Ocidental, Mississipi, Nebraska, Texas, Utah e Wyoming.

Desses Estados, Michigan, New Hampshire, Ohio, Pensilvânia e Illinois são considerado importantes para a disputa. Obama venceu em todos eles. Além disso, os votos de Iowa, Ohio e Novo México migraram de republicanos, em 2004, para democratas, nesta eleição.

Obama não ganhou a maioria dos votos evangélicos em nenhum Estado. O que já era esperado. Mas restava a dúvida de que parcela do eleitorado evangélico o Senador conseguiria conquistar. Conquistaria um de cada três eleitores evangélicos (como Clinton fez em 1992) ou um de cada quatro (como o Kerry fez em 2004)? O resultado foi mais próximo da última hipótese: uma sondagem na saída das urnas revelou que 26 por cento do eleitorado americano se auto denomina evangélico ou renascido cristão, e destes, 74 por cento votaram em McCain, e 25 por cento votaram em Obama.

De qualquer forma, o voto evangélico variou significativamente de Estado para Estado, da margem de 19 pontos em Illinois à margem de 81 pontos em Mississipi. E de Estados com as populações evangélicas tão pequenas que nem sequer foram registradas aos Estados onde são a maioria esmagadora do eleitorado.

Obama se denomina cristão e crente em Jesus Cristo. “Eu sou um cristão, e eu sou um cristão devoto. Eu acredito na morte e na ressurreição de Jesus Cristo. Eu acredito que essa fé me dá um trajeto limpo do pecado e acredito que tenho a vida eterna. Mas, mais importante ainda, eu acredito no exemplo de Jesus, que alimentou os que tinham fome, curou os doentes e sempre deu prioridade aos mais necessitados. Eu ‘não caí fora da igreja’ como muitos dizem, mas houve um despertar muito forte em mim da importância destes exemplos. Eu não quis andar sozinho nesta caminhada. Aceitar Jesus Cristo em minha vida foi o guia poderoso para minha conduta e meus valores e ideais”, afirmou o presidente eleito em entrevista a revista Christianity Today.

Com a vitória, Barack Obama se torna o primeiro presidente afro-americano dos Estados Unidos. Além disso, é também o primeiro nascido no Estado do Hawaii à chegar na Casa Branca.

Fonte: Cristianismo Hoje