Joe Biden durante juramento na sua posse com a mão em uma Bíblia.
Joe Biden durante juramento na sua posse com a mão em uma Bíblia.

Os bispos católicos condenaram a “dolorosa” decisão de Joe Biden de reverter uma política que proíbe o dinheiro do contribuinte de ser gasto em organizações que fornecem ou promovem o aborto no exterior.

A Política da Cidade do México foi uma iniciativa do governo Reagan em 1984 e foi reinstalada por Donald Trump durante sua presidência.

Em uma de suas primeiras ações desde que se tornou presidente na semana passada, Biden, um católico, reverteu a política, o que significa que provedores de aborto como Planned Parenthood e Marie Stopes podem mais uma vez receber financiamento federal.

“É política do meu governo apoiar a saúde sexual e reprodutiva de mulheres e meninas e seus direitos nos Estados Unidos, bem como em todo o mundo”, disse Biden em um memorando.

“Essas condições excessivas de assistência externa e de desenvolvimento minam os esforços dos Estados Unidos para promover a igualdade de gênero em todo o mundo, ao restringir nossa capacidade de apoiar a saúde das mulheres e os programas que previnem e respondem à violência de gênero.”

Condenando a decisão, a Conferência dos Bispos Católicos dos Estados Unidos disse que o memorando “promove ativamente a destruição de vidas humanas nas nações em desenvolvimento”.

“Esta Ordem Executiva é antitética à razão, viola a dignidade humana e é incompatível com o ensino católico”, disseram os bispos.

“Nós e nossos irmãos bispos nos opomos veementemente a essa ação. Instamos o presidente a usar seu cargo para o bem, priorizando os mais vulneráveis, incluindo os nascituros.”

Folha Gospel com informações de The Christian Today