No último dia 12 de junho, um templo budista lançou uma campanha contra a existência de uma igreja em Middeniya, cidade que fica no distrito de Hambanthota, e recolheu assinaturas de residentes da área.

Fontes locais dizem que os monges pretendem entregar o abaixo-assinado ao presidente Mahinda Rajapaksa.

Cristãos no distrito de Hambanthota pediram oração para desativar a iniciativa, a fim de protegerem o direito deles para adorar e proteger suas famílias (relembre o início da campanha contra os cristãos, aqui).

Extremistas budistas foram responsáveis por inúmeros ataques contra cristãos nos últimos seis anos, seguindo uma campanha anticristã lançada em 2002 por Gangodavila Soma, um monge budista muito venerado.

Depois da morte de Gangodavila Soma, em dezembro de 2003, extremistas estenderam a campanha deles para a implementação de leis anticonversão, convocando o governo a proibir o que eles chamam de ” conversões pouco éticas ao cristianismo”.

Leis anticonversão “importada” da Índia

Eles formaram o próprio partido político, o Jathika Hela Urumaya (Partido da Herança Nacional), para levar adiante a legislação anticonversão, nos moldes semelhantes aos partidos da Índia. Desse modo, converter alguém a uma outra religião “por força ou através de fascinação ou por qualquer meios fraudulentos” seria ilegal.

Ratnasiri Wickremanayake, o ministro do Sri Lanka para Assuntos Budistas, está ajudando na tramitação de uma lei anticonversão aprovada pelo gabinete em 2004.

Porém, ambas as leis acabaram intensificando o conflito local com os rebeldes Tigres de Libertação da Pátria Tâmil (LTTE, sigla em inglês), que lutam por uma pátria independente no nordeste do país e por isso ainda não tiveram êxito.

Ore para que essa campanha dos budistas contra os cristãos não prossiga e para que esses projetos de leis anticonversão sejam desativados.

Fonte: Portas Abertas