O presidente do Conselho Pontifício para a Promoção da Unidade dos Cristãos, cardeal Walter Kasper, disse que as denúncias de pedofilia que envolvem membros da Igreja Católica são um “tema triste” e que “nos enche de vergonha”.

O religioso falou à Rádio Vaticana sobre o tema, que voltou à tona com os casos divulgados recentemente sobre abusos sexuais contra menores cometidos em escolas jesuítas alemãs nas décadas de 1970 e 1980 e no coro de rapazes da catedral de Regensburg, que foi dirigido pelo irmão do papa Bento XVI, Georg Ratzinger, durante trinta anos.

Kasper, que é alemão, classificou os episódios de pedofilia como “reprováveis”. “Sobre isso não pode haver absolutamente nenhuma dúvida”, acrescentou, falando da necessidade de investigar as denúncias.

“Não há dúvida sobre a clara opinião do papa [Bento XVI] sobre esta questão”, afirmou ainda.

O cardeal também comentou a hipótese de que as vítimas de abusos sexuais sejam indenizadas financeiramente, proposta levantada ontem pela ministra alemã da Justiça, Sabine Leutheusser-Schnarrenberger.

“Nunca disse uma palavra sobre possíveis ou necessários ressarcimentos”, rebateu Kasper, referindo-se a uma opinião atribuída a ele por um jornal italiano.

“Esta é uma questão legal, que está completamente fora do meu horizonte e das minhas competências”, explicou.

Fonte: Ansa