Cientistas israelenses tiraram fotografias digitais dos papiros do mar Morto com o propósito de que os documentos, de 2 mil anos de idade, estejam disponíveis para o público e pesquisadores na internet.

A Autoridade Israelense de Antiguidades, que tem sob sua custódia os textos, disse nesta quarta-feira que levará mais de dois anos para completar o projeto. Os documentos lançam luz sobre a vida dos judeus e dos primeiros cristãos na época de Jesus Cristo

Eles foram encontrados em covas próximas ao mar Morto em 1947 por pastores beduínos e durante muitos anos só um reduzido número de estudiosos pôde ter acesso.

Os rolos de papel, em sua maioria pergaminhos, são as cópias mais antigas da Bíblia em hebraico e incluem textos laicos que datam o século 3 antes de Cristo até o primeiro século depois de Cristo. Uma equipe de especialistas tirou 4 mil fotografias de cerca de 9 mil fragmentos que compõem os documentos –no total, são 900 rolos. Uma grande parte deles está em exposição permanente no Museu de Israel.

Fonte: Folha Online