Que a nossa sociedade está cada vez mais materialista e secularizada e se voltado contra Deus e todos os seus preceitos, não é novidade para ninguém; que o número de ateus e agnósticos tem proliferado em todos os meios, tambem não surpreende mais a ninguém; que o descaso com a vida humana, refletido no enorme número de abortos e genocídios ao redor do mundo, está batendo em nossas faces a toda a hora, tambem não espanta mais ninguém.

Mas, quando tomei conhecimento de um fenômeno da cultura de massa que está acontecendo agora mesmo, nesse minuto, nos Estados Unidos, fiquei bastante chocado e surpreso. E pensei que precisava compartilhar isso com a comunidade evangélica brasileira.

Tudo começou a partir de um documentario, entitulado “The God That wasn’t There” ou “O Deus que nao estava lá”, realizado à dois anos atrás pelo cineasta ateu Bian Flemming. No filme ele se utiliza de entrevistas, depoimentos e imagens de evangelistas, pastores e professores universitários, para tentar provar que Deus não existe e que Jesus Cristo não passa de uma figura mitológica que nem sequer chegou a nascer e viver entre nós.

Dentro da mesma linha contestadora de “Farenheit 9/11”, o diretor tenta ridicularizar e mostrar uma imagem extremista e deturpada dos evangélicos em geral, capitalizando em cima dos chamados “mercadores da fé” para provar sua tése. Esse é o tipo de filme que eu não recomendo para ser assitido na sua Igreja , mas que recomendo sim, para os pastores e líderes denominacionais, especialmente os estudiosos da apologética, que irão se defrontar com questionamentos não muito diferentes dos que são feitos em salas de aula nas universidades do mundo inteiro.

Um dos atores que participam do filme, chamado Richard Dawkins, um ex-cristão, se tornou um verdadeiro ícone do ateísmo nos EUA. Dawkins viaja pelo mundo divulgando suas idéias e desafiando cristãos para debates cientificos. Até aí nada que já não tenhamos visto ou ouvido antes; mas, o que me chocou mesmo, foi um movimento surgido a partir do filme e das palestras de Richard Dawkins, um grupo chamado “Rational response squad”, que se utilizando da internet e sites como “youtube”, lançou um desafio a todos os jovens não cristãos, para colocarem videos na internet, declarando publicamente a sua descrença em Deus e repúdio ao cristianismo.

Além disso, o grupo orienta todos os adolescentes a encerrarem suas declarações com a frase “eu renego o Espirito Santo”, baseado no texto de Marcos 3:29, que afirma que o único pecado imperdoável é a blasfêmia ao espirito santo . Em outras palavras a tal da “Blasphemy challenge” tenta fazer com que todos os que participem dela sejam candidatos de primeira classe ao fogo do inferno. Os arquivos de videos com respostas ao tal desafio tem batido todos os recordes de “uploads” e acessos nos sites americanos, e se tornado uma verdadeira febre entre adolescentes e jovens, com seus depoimentos agressivos e chocantes.

A minha primeira reação, quando soube do fato, foi de choque, mas quando comecei a me aprofundar no assunto e a assitir a alguns dos tais videos, fiquei mesmo foi com pena; pena, de ver tantos jovens sem rumo e sem ter a menor idéia do que estão fazendo; pena, por poder ver claramente no rosto dos adolecentes uma profunda mágoa e vazio interior; pena por ver como, mais uma vez, os veículos de massa, e a internet como o mais poderoso atualmente, tem manipulado mentes e divulgado mensagens satãnicas e peçonhentas.

De tão equivocados sobre o assunto, os particiapantes do desafio nem se deram ao trabalho de tentar entender o têxto bíblico, que não se refere à uma frase mágica que automaticamente lança seus proferidores no inferno, mas sim à uma postura interior , aquilo que está no coração das pessoas. Negar o espirito santo é não reconhecer Jesus Cristo como filho de Deus, salvador da humanidade; esses sim vão para a condenação eterna, pois não aceitaram o plano de salvação que Deus proveu para a humanidade.

Na verdade esses jovens e adolescentes estão simplesmente expressando seus mêdos e falta de sentido na vida. Não me ofendo com os questionamentos do filme ou dos videos; a Biblia diz que “ a sabedoria de Deus é loucura para o homem”; portanto se não for na dimensão espiritual, ninguém consegue captar em sua inteireza a pessoa de Deus, seus princípios e valores.

O que nós, como filhos de Deus, transformados pelo sangue sacrificial de Cristo precisamos fazer, é dar respostas para esse povo. Parar de apenas ficar chocados ou revoltados, e fazer o que Cristo faria: Amá-los, em primeiro lugar. Orar por eles, pregar a palavra e até mesmo aceitar debates, se necessário. Mas sempre com amor. Pois é pelo amor que seremos conhecidos com Cristãos. Afinal, Deus é amor. E Amor de Deus é exatamente o que falta a esses milhões de jovens engolfados nessa barca furada chamada “the Blasphemy challenge”.

Um abraço,

Leon Neto